Di Grassi aprova desempenho em São Paulo e despista sobre futuro, mas quer correr em Le Mans

Lucas Di Grassi sai de Interlagos satisfeito com seu desempenho nas 6 Horas de São Paulo. Elogiado por Tom Kristensen, ele não quis dar nenhuma certeza sobre seu futuro, mas deixou claro que aceitaria tranquilamente um convite da Audi para disputar as 24 Horas de Le Mans. Para isso, só precisa pagar o jantar

Não é à toa que Lucas Di Grassi precisou responder dezenas de perguntas a respeito de uma possível continuação na Audi. Estreando no endurance pela montadora alemã neste fim de semana, o brasileiro se destacou nas 6 Horas de São Paulo e teve seu desempenho aprovado por seus companheiros.

Falando aos jornalistas após a prova que aconteceu neste sábado (15) em Interlagos, Di Grassi, é claro, foi político. “Não é para mim que essa pergunta tem de ser feita”, falou e apontou para o diretor de comunicação da Audi, provocando risadas. Apesar do tom cauteloso, porém, o piloto aprovou o próprio desempenho e manifestou seu desejo, quem sabe, estar em Le Mans no ano que vem.

Lucas Di Grassi foi quem conlcuiu as 6 Horas de São Paulo no segundo carro da Audi(Foto: Felipe Tesser / Agência Warm Up)

“Foi a minha primeira vez neste tipo de corrida, mas eu gostei e me senti confiante dentro do carro”, disse. “Fui o mais rápido da Audi na quinta, na sexta e no sábado e, na corrida, fiz a melhor volta mesmo com um carro inferior”, acrescentou.

No trecho final da corrida, quando estava a bordo do R18 ultra, ele tentou desafiar André Lotterer pela segunda posição. “O objetivo era sim ter uma briga direta na fase final da corrida”, disse, arrancando um sorriso do alemão.

Ao falar da prova francesa, na entrevista coletiva, iniciou-se uma série de brincadeiras com Tom Kristensen, que foi seu companheiro no R18 ultra neste fim de semana – e que, diga-se de passagem, o elogiou bastante.

Se a primeira impressão é a que fica, Lucas Di Grassi certamente impressionou a Audi (Foto: Rodrigo Berton / Agência Warm Up)

Lucas começou dizendo que Le Mans “é uma das principais corridas do mundo. Ao meu lado está um cara que venceu, o que… oito vezes?”. Aí, Kristensen apenas fez uma cara de malandro do tipo “é, sou bom mesmo”. Di Grassi continuou: “Nunca fui para Le Mans. Nunca fui convidado, para falar a verdade [Kristensen interrompeu e disse que o brasileiro não pagou o jantar]. Se tivesse a chance de competir, eu definitivamente iria”, completou Di Grassi. O dinamarquês, então, falou o que renderia o convite a ele: “Se pagar o jantar…”

“Saio daqui super satisfeito. Nas condições que me deram, eu não podia fazer um trabalho melhor do que fiz, na minha opinião. Dá para melhorar muito e, se Deus quiser, quando eu voltar em uma próxima vez, estarei mais forte. Agora tem que perguntar isso para o Doctor [Wolfgang] Ullrich [diretor-esportivo da Audi]”, completou o brasileiro.

“Agora eu vou para casa e relaxar. Foi uma semana bastante estressante, de bastante trabalho”, finalizou Di Grassi, que já viaja para a Europa no início da próxima semana. A próxima etapa do WEC acontece daqui a duas semanas, no Bahrein e, a princípio, a Audi seguirá tendo apenas Tom Kristensen e Allan McNish no R18 ultra.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube