DTM: Mortara vence 2ª em 2012 e lidera trifeta da Audi em Zandvoort. Farfus se recupera e é nono

A Audi fez uma festa particular na sétima etapa do DTM, disputada neste domingo (26), em Zandvoort, na Holanda. Com Edoardo Mortara, Mike Rockenfeller e Mattias Ekström, a marca foi a primeira a dominar um pódio em 2012

Pela segunda vez em 2012, a Audi venceu no DTM. Pela segunda vez, com um jovem piloto que cresce cada vez mais em Ingolstadt: Edoardo Mortara. O italiano foi oportunista e conseguiu se sobressair em uma prova pra lá de agitada, em Zandvoort, na Holanda, neste domingo (26).

Imprevisível, a sétima etapa da temporada caiu nas mãos do italiano junto da chuva, na metade da corrida. Mortara ultrapassou Mike Rockenfeller para assumir a liderança e não mais perdê-la até o término das 44 voltas em solo holandês, apesar da pressão do alemão.

Edoardo Mortara venceu pela segunda vez no DTM (Foto: DTM)

Muito mais forte do que nas cinco primeiras corridas da temporada, a Audi fechou o pódio para uma festa particular: na terceira posição estava outro piloto da marca, Mattias Ekström. Motivo de muita festa. Esta foi a primeira vez em 2012 que uma das três marcas do DTM conseguiu dominar os três lugares do pódio.

Na disputa pelo campeonato, Gary Paffett mais uma vez perdeu terreno. O inglês chegou a disputar posição com Jamie Green, que retomou a vice-liderança do campeonato, mas foi prejudicado mesmo quando recebeu um toque de Martin Tomczyk, no momento em que a chuva apertou na metade da corrida. Paffett terminou em sétimo, viu Green completar a prova na quarta posição e Bruno Spengler, que largara apenas em 18ª, também chegar na sua frente, em sexto.

A três provas do fim, Paffett soma 109 pontos. São 16 a mais que Green e 18 de vantagem sobre Spengler. O campeonato, que poderia parecer encaminhado após a primeira metade da temporada, está aberto. Com a vitória, Edoardo Mortara subiu para a quarta posição e, com 74 pontos, corre por fora.

O brasileiro Augusto Farfus Jr. seguiu Spengler e conseguiu reverter o mau resultado da classificação com uma aparição na zona de pontuação. Pela quarta vez em 2012, Farfus terminou entre os dez primeiros. Neste domingo, depois de largar em 20º, o piloto da BMW ultrapassou Ralf Schumacher na volta final e assegurou a nona colocação e mais dois pontos no campeonato.

Confira como foi a etapa de Zandvoort do DTM:

A primeira volta foi movimentada em Zandvoort. Tudo começou com o pole-position, Timo Scheider, que ficou parado no grid de largada e caiu para a última colocação. Mike Rockenfeller pulou para a primeira posição. Ainda na reta dos boxes, Miguel Molina espremeu Robert Wickens contra o muro. No toque lateral, o carro pintado nas cores da Red Bull balançou e rodou, atingindo a barreira de proteção da curva Tarzan.

Mais a frente, Wickens voltou a ser vítima de um toque. Por fora na curva Hugenholtz, o canadense acabou tocado por Christian Vietoris, que escorregou no piso molhado. Wickens rodou e ainda acabou atingido primeiro por Andy Priaulx e depois por Rahel Frey. Scheider ainda bateu na traseira de David Coulthard.

Safety-car. A ordem após as tumultuadas primeiras curvas ficou: Rockenfeller, Edoardo Mortara, Filipe Albuquerque, Mattias Ekström, Gary Paffett, Jamie Green, Adrien Tambay, Dirk Werner, Ralf Schumacher e Martin Tomczyk. Augusto Farfus escapou das confusões e subiu para 15º, e ganhou três posições na relargada. Também no reinício – e na briga pelo título – Green atacou e superou Paffett.

Mas não demorou muito para o carro de segurança voltar a liderar a corrida na Holanda. Timo Scheider, que parou nos boxes depois daquele incidente da largada para trocar o capô. No retorno à pista, a frente de seu A5 se desintegrou, espalhando muitos detritos. A relargada foi dada na 11ª volta, quando a janela de pit-stops foi aberta e as primeiras paradas de box já foram realizadas, e tudo foi se embaralhando.

Na primeira rodada de trocas de pneus, Mortara quase deixou Rockenfeller para trás. Os dois ficaram lado a lado no fim da reta dos boxes, mas o alemão ainda conseguiu se manter a frente. Não seria para sempre. Após a segunda rodada de pit-stops, a chuva voltou a cair em Zandvoort, para mudar a história da corrida.

Foi aí que o italiano decidiu partir em busca da vitória. De novo na reta dos boxes, Mortara mergulhou para dividir a freada. Os dois chegaram a se tocar, mas nada irregular, e a ultrapassagem foi consumada. A etapa de Zandvoort tinha um novo líder.

O toque de Tomczyk em Paffett pode ter mudado o destino do campeonato (Foto: DTM)

Neste momento, Paffett era o terceiro colocado, depois de ganhar cinco posições em relação à largada. Os planos do líder do campeonato, porém, foram estragados por um toque de Tomczyk. O atual campeão não conseguiu seguir na disputa. Paffett, que ficou ao contrário, sim, mas prejudicado. Para evitar a Mercedes do inglês, que estava atravessada na pista, Farfus, Priaulx e Albuquerque precisaram deixar os limites do traçado.

Após o incidente, Paffett conseguiu se recuperar, atacou Schumacher, Farfus e Werner e ainda garantiu o sétimo lugar. Outra Mercedes que veio de trás foi a de Green. Ele era o quarto colocado antes dos primeiros pit-stops, mas teve problemas nas duas paradas obrigatórias e saiu até do top-10. Habilidoso na chuva, porém, ele conseguiu fazer voltas rápidas para ganhar pouco a pouco os lugares que perdera.

Mortara nunca conseguiu abrir muito de Rockenfeller, mas não deixou o alemão dar o troco (Foto: DTM)

Lá na frente, à medida que a pista secava, Rockenfeller tentava recuperar a liderança da corrida. Mas Mortara se defendia bem em um circuito de difíceis ultrapassagens.

Na volta final, uma briga que empolgava definiria os três lugares mais baixos da zona de pontuação. Werner conseguiu superar Schumacher e Farfus para ficar em oitavo. Já o brasileiro precisou dar um chega pra lá no irmão de Michael nas últimas curvas para cruzar a linha de chegada em nono.

DTM, Holanda, Zandvoort, Corrida, Final:

2012-dtm-zandvoort-R

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube