Lotterer se surpreende com subidas e descidas de Interlagos e revela admiração por Senna

Pela primeira vez no Brasil, André Lotterer contou ao Grande Prêmio sobre a relação que possui com o país, mesmo sem nunca tê-lo visitado antes

André Lotterer nunca participou de nenhuma prova no Brasil e sequer pisara em solo brasileiro antes da última terça-feira (11). O piloto da Audi, no entanto, possui uma relação de proximidade com o país, ou melhor, com pessoas aqui nascidas.

Bem humorado, Lotterer contou em entrevista exclusiva ao Grande Prêmio que conheceu muitos brasileiros ao longo de sua vida, “especialmente garotas brasileiras”. Com uma delas, inclusive, namorou três anos e meio, quando morava no Japão. “Sempre fui muito próximo a algumas pessoas brasileiras, sempre muito calorosas. Também era um grande fã de Ayrton Senna na infância”, comentou o piloto.

André Lotterer venceu nas duas últimas edições das 24h de Le Mans (Foto: Audi)

Na preparação para o início dos treinos livres, que começam nesta quinta-feira (13), Lotterer e boa parte da equipe da Audi partiram para uma volta a pé pelo circuito de Interlagos. Depois de caminhar pelos 4309 metros da pista, que não terá a chicane da Curva do Café, o alemão ficou “muito surpreso” com as acentuadas subidas e descidas.

“Não é algo que dá para perceber quando você assiste às corridas aqui pela televisão, ou mesmo quando joguei nos simuladores em casa para aprender o traçado”, admitiu Lotterer, que, diferentemente do que fizeram alguns de seus companheiros, correram ao redor do circuito, acompanhados por um cachorro. Ele apenas caminhou.

Pelas características de Interlagos, lidar com os retardatários pode acabar sendo mais complicado que em outros lugares. “Sempre estamos preocupados com o tráfego, especialmente em circuitos mais curtos e estreitos. Por sorte, esta corrida não vai ter tantos carros como as outras, então não será uma zona”, ponderou.

O alemão demonstrou preocupação com o miolo do circuito, onde será possível perder muito tempo. A receita para minimizar possíveis prejuízos “é planejar tudo com antecedência, além de ter que andar rápido”.

Voltando à relação de Lotterer com o Brasil, ele lamentou não ter tido tempo para conhecer nada, ainda. Ele tampouco sabe se algum brasileiro que conhece está por aqui – “são todos exportados”. Mas depois de assegurar que seguirá totalmente focado na disputa das 6 Horas de São Paulo, anunciou que talvez “consiga fazer algo no sábado à noite”. No fim da entrevista ao GP, o simpático Lotterer mostrou arranhar algo em português: "Tchau!".

O Grande Prêmio cobre ‘in loco’ as 6 Horas de São Paulo com os repórteres Felipe Giacomelli e Renan do Couto.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube