Mais rápido da quinta-feira, Wurz explica que altitude elevada de São Paulo equilibra duelo com Audi

Se o sistema híbrido desenvolvido pela Toyota torna o carro melhor em curvas de baixa velocidade, os motores aspirados da montadora acabam não sendo tão potentes quanto os turbo da Audi nos 800 metros de altitude de São Paulo

Em seu terceiro fim de semana no Mundial de Endurance, a Toyota mostra que pode desafiar cada vez mais a Audi. Nesta quinta-feira (13), Alexander Wurz e Nicolas Lapierre dominaram o segundo treino livre e terminaram a sessão na primeira colocação. O TS-030 foi o carro mais rápido desde o princípio, com Wurz. No fim, o francês conseguiu melhorar ainda mais a marca de seu companheiro e cravou 1min23s272.

Se o bom desempenho da Toyota em curvas de baixa velocidade, que predominam em Interlagos, é uma vantagem, a altitude elevada – pode parecer estranho para os brasileiros ouvir isso, mas foi assim que Wurz descreveu a situação geográfica da capital paulista – serve de contrapeso no duelo com a Audi na primeira edição das 6 Horas de São Paulo.

Não fosse a altitude de São Paulo, a Toyota poderia estar ainda melhor em relação à Audi, falou Wurz (Foto: Facebook/Toyota)

Em entrevista exclusiva ao Grande Prêmio, o austríaco com passagens pela F1 disse que isso explica pelo conceito diferente dos motores utlizados por cada montadora. “Temos um motor com combustão normal, então perdemos mais potência que os motores turbo. É por isso que tudo será muito próximo”, explanou o piloto de 38 anos.

O detalhe técnico veio a seguir: “Se você está em um lugar mais alto, isso significa que você tem menos oxigênio no ar. Em um motor aspirado, sua combustão será menor e você terá menos potência. Em motores turbo, o ar é comprimido e há oxigênio suficiente para a combustão”.

Nas duas corridas que disputou, a Toyota já andou bastante próxima da Audi. Nas 24 Horas de Le Mans, seus carros não resistiram a toda a dura prova. Nas 6 Horas de Silverstone, Wurz chegou a liderar, mas a equipe japonesa acabou batida na estratégia pela Audi e terminou na segunda colocação.

O Grande Prêmio cobre ‘in loco’ a quinta etapa do Mundial de Endurance, em Interlagos, com os jornalistas Felipe Giacomelli e Renan do Couto. Acompanhe o noticiário aqui.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube