Nascar: Ambrose supera Keselowski em duelo épico e vence pela segunda vez em Watkins Glen

Em um final emocionante, Marcos Ambrose conquistou a sua segunda vitória na Nascar, repetindo o triunfo em Watkins Glen no ano passado, após superar, em um duelo incrível, Brad Keselowski

As últimas voltas da etapa de Watkins Glen na Nascar, neste domingo (12), deram a impressão que Kyle Busch venceria até com certa tranquilidade. Mas a categoria norte-americana brindou os amantes do esporte a motor com uma disputa incrível pela liderança. O piloto da Joe Gibbs passou em primeiro quando faltavam duas voltas para o fim, mas não conseguiu conter a pressão de Brad Keselowski, que tocou em seu carro e acabou rodando. Aí foi a vez de o representante da Penske assumir a primeira colocação, mas ele também tinha um duro rival: Marcos Ambrose.

Sem Kyle Busch como adversário, Keselowski e Ambrose duelaram por toda a última volta no tradicional circuito norte-americano, com direito a muitos toques entre os dois. Após uma épica disputa, o australiano levou a melhor e conquistou a vitória neste domingo, a sua segunda na divisão principal da Nascar, repetindo o seu feito alcançado no ano passado na mesma pista. Segundo colocado, Keselowski elogiou a atitude do australiano, de 35 anos, e foi cumprimentar os mecânicos da equipe de Richard Petty logo após a corrida.

Principal piloto da Hendrick e lenda da Nascar, Jimmie Johnson, que foi um mero coadjuvante ao longo de toda a prova, conquistou uma importante terceira colocação, que lhe valeu a liderança do campeonato. Clint Bowyer foi o quarto, seguido por Sam Hornish Jr, também da Penske. Greg Biffle terminou em sexto, seguido por Kyle Busch, que ainda conseguiu fechar a prova. Matt Kenseth, Regan Smith e Martin Truex Jr. completaram o rol dos dez primeiros em Watkins Glen. Juan Pablo Montoya largou na pole, mas terminou apenas em 33º.

A corrida teve 2h18min01s, quatro bandeiras amarelas e cinco líderes: Juan Pablo Montoya, Kyle Busch, Keselowski, Carl Edwards e Marcos Ambrose. Foram, ao todo, dez mudanças na liderança da prova.

Saiba como foi a etapa da Nascar em Watkins Glen

A bandeira verde foi acionada às 15h25 locais em Watkins Glen, com Montoya sustentando a liderança apenas até a curva 1, quando foi ultrapassado por Kyle Busch, que largou ao seu lado. Mas com tantos pilotos acostumados às corridas em ovais, foi até uma surpresa o fato de a largada ser realizada sem maiores incidentes.

Na primeira das 90 voltas da corrida, o top-5 era formado por Busch, Montoya, Brad Keselowski, Jimmie Johnson e Marcos Ambrose. Forjado na V8 Supercars, o australiano era, ao lado de Juan Montoya, um dos grandes favoritos à vitória, já que carrega consigo muita experiência nos circuitos mistos.

Na quinta volta, Ambrose, na curva 1, finalmente passou JJ e avançou à quarta colocação, escalando o pelotão em Watkins Glen. O australiano seguia à caça de Keselowski que, por sua vez, estava 0s7 distante de Montoya. Já o piloto da Ganassi não conseguia acompanhar o forte ritmo de Kyle Busch no princípio da corrida. Por sua vez, Brian Vickers já abandonava por conta de problemas no motor, enquanto Boris Said escapava também na curva 1 do circuito.

Carl Edwards, que venceu no sábado correndo pela Nationwide, era o 11º, à frente do companheiro de equipe de Montoya, Jamie McMurray. Tony Stewart seguia avançando na corrida e já era o sexto colocado após 13 voltas. O líder, no entanto, era o mesmo, Kyle Busch.

O ritmo da corrida seguia até um tanto monótono, mas só até a abertura da primeira janela para troca de pneus e reabastecimento, aberta por Ryan Newman no 17º giro. Fato é que a estratégia dos pilotos, mesmo com uns parando antes e outros depois, era quase a mesma, já que a corrida seguia normalmente seu ritmo e sempre com bandeira verde.

Mas a bandeira amarela finalmente veio na 26ª volta, depois que McMurray bateu no guard-rail e furou o pneu dianteiro esquerdo. Quase ao mesmo tempo, Kurt Busch enfrentou problemas, já que a roda traseira esquerda do seu carro escapou, mas, diferente do piloto da Ganassi, seguiu na prova.

Os líderes Kyle Busch e Montoya aproveitaram a bandeira amarela para fazer suas respectivas paradas, já que, diferente de Keselowski e Jimmie Johnson, por exemplo, tiveram de parar durante a bandeira amarela, com todos os carros do grid logo atrás. Dessa forma, ambos perderam muitas posições.

A Ganassi fez trabalho bom o bastante nos boxes para posicionar Montoya à frente de Busch. Contudo, o colombiano caiu para sexto, duas posições à frente do polêmico rival. A liderança ficou com Keselowski, seguido por Ambrose e Keselowski. A promissora corrida de Juan Pablo, por sua vez, ficou comprometida de vez quando, aparentemente com a suspensão quebrada, não conseguiu fazer uma curva e praticamente encerrou sua prova ali, na 34ª volta.

Assim como aconteceu no sábado, na Nationwide, Keselowski se credenciava como grande favorito à vitória em Watkins Glen, mas a pressão dos experientes Ambrose e Johnson era enorme. Clint Bowyer e Dale Jr. fechavam a relação dos cinco primeiros. Mas claro, ainda havia muita corrida pela frente, principalmente com o forte Kyle Busch ainda próximo dos ponteiros, em sexto.

Mas Keselowski não resistiu ao ímpeto de Ambrose, que ultrapassou o piloto da Penske na abertura da 39ª volta, na curva 1. O australiano não só passou como abriu boa vantagem na frente. Na metade da prova, a diferença de Marcos perante o segundo colocado era de 2s3. Pouco depois, na 47ª volta, o oceânico fez seu segundo pit-stop, possibilitando a Keselowski, com estratégia distinta do adversário, voltar à ponta. Ambrose caiu para 16º.

No mesmo instante em que a liderança da corrida mudava de mãos mais uma vez, o site da Nascar informava que havia pancadas de chuva na região de Watkins Glen e que a possibilidade de que a corrida fosse completada com pista molhada era bastante razoável.

Se a chuva ameaçava desabar em Watkins Glen, ninguém conseguia ameaçar a soberania de Keselowski na pista. O piloto da Penske resistia sem fazer sua parada e trazia consigo Kyle Bush, embora o #18 vinha bem distante, 4s9 atrás. Até que Keselowski finalmente fez seu pit-stop na abertura da volta 58. Vários competidores, como Clint Bowyer e Greg Biffle, também pararam. Melhor para Busch, que assumiu a ponta.

Mas tudo mudou na 59ª volta, quando o Toyota Camry 11 de Denny Hamlin apresentou problemas e ficou parado na pista, causando assim a segunda bandeira amarela da prova. Com a intervenção do safety-car, houve um grande congestionamento nos boxes, com Kyle Busch liderando o pelotão dos pilotos que fizeram seus pit-stops. Consequentemente, Keselowski voltou à ponta, seguido por Tony Stewart.

A relargada foi dada na volta 62, com Keselowski tentando desgarrar na frente, mas com seu maior rival na luta pela vitória, Kyle Busch, voltando em sexto. Duas posições atrás vinha outro cotado ao triunfo em Watkins Glen, Ambrose, que vinha abrindo caminho para tentar se aproximar dos ponteiros. Montoya, sem chances de conquistar um bom resultado, era só o 36º.

Só que uma volta depois da relargada, a corrida novamente teve a intervenção do pace-car depois que o Toyota Camry de Jason Leffer ficou parado na área de escape da pista por conta de problemas mecânicos. Quase ao mesmo tempo, a chuva finalmente apareceu na pista, ainda que bastante fina, mas nada atrapalhou a retomada da prova, que aconteceu quando faltavam 22 voltas para o fim da corrida.

Keselowski liderava a prova, mas não tinha sossego. Tony Stewart vinha logo atrás, em segundo, à frente de Marcos Ambrose, Kyle Busch, Clint Bowyer, Greg Biffle, Matt Kenseth e Jimmie Johnson, oitavo colocado. Só que a bandeira amarela apareceu novamente em Watkins Glen e, dessa vez, porque Stewart cometeu um erro ao rodar na entrada da reta dos boxes, aparentemente por conta de problemas mecânicos.

Com a corrida sob bandeira amarela, Keselowski passou a ver nos retrovisores o carro de Ambrose, que representava a maior ameaça à sua vitória, que quase veio no sábado, mas foi perdida para Carl Edwards na penúltima volta da etapa da Nationwide. Mas ninguém contava com a astúcia de Kyle Busch.

Pouco depois da relargada, o piloto da equipe de Joe Gibbs não tomou conhecimento de Ambrose e Keselowski e pulou de terceiro para primeiro em Watkins Glen após manobra espetacular na curva 1, quando faltavam 14 voltas para o fim da corrida. Ciente da pressão que sofreria de Keselowski e Ambrose, Kyle Busch tratou de tentar abrir vantagem, aproveitando assim a pista mais livre.

E depois de tanto pressionar Keselowski, Ambrose passou o piloto da Penske na ‘Bus Stop’ quando faltavam dez voltas para o fim da corrida. A dura missão do australiano era se aproximar e lutar pela vitória contra Kyle Busch, mas o piloto da Joe Gibbs estava cada vez mais próximo da sua 25ª vitória na divisão principal da Nascar. Só mesmo uma bandeira amarela parecia poder ajudar o oceânico a chegar mais perto do líder. Mas o que ninguém esperava era que o fim da corrida fosse emocionante e polêmico.

Nas últimas voltas, Busch controlou o ímpeto dos rivais e, com pilotagem segura. Até que, na penúltima volta, Keselowski passou Ambrose e partiu para cima do líder. Após cruzar em segundo no último giro e ver a bandeira branca, Keselowski atacou Busch, que, pressionado, errou na entrada de uma curva e permitiu a aproximação do rival. Contudo, o piloto da Penske tocou no carro 18, e Kyle Busch rodou. Ambrose, logo atrás, acompanhava tudo.

Keselowski assumiu a liderança, mas foi muito pressionado por Ambrose. Depois de um duelo épico, em que ambos se tocaram, o australiano ultrapassou o piloto da Penske nas últimas curvas e conquistou uma vitória incrível. O próprio Keselowski, no fim da prova, elogiou a postura de Ambrose na pista e cumprimentou os mecânicos da equipe de Richard Petty, reconhecendo a superioridade do rival. Marcos conquistou assim a sua segunda vitória na divisão principal da Nascar, a segunda também em Watkins Glen.

Campeonato

Após 22 etapas na temporada 2012, Jimmie Johnson ganhou três posições e é o novo líder da Nascar. Agora o piloto da Hendrick soma 777 pontos, apenas um a mais em relação a Greg Biffle e dois a mais que Matt Kenseth, terceiro colocado. Dale Earnhardt Jr. vem na quarta posição, com 760 pontos, enquanto Keselowski tem 44 a menos em relação a Johnson. Juan Pablo Montoya caiu uma colocação e agora é apenas o 22º do campeonato, com 512 pontos.

A próxima etapa da Nascar será disputada no próximo domingo (19) no superoval de Michigan.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube