Nationwide: Edwards passa Keselowski no fim e vence em Watkins Glen. Paludo termina em 13º

Brad Keselowski dominou praticamente toda a corrida, mas não conseguiu evitar a ultrapassagem de Carl Edwards na última relargada, faltando duas voltas para o fim. Miguel Paludo foi o 13º

Tudo indicava que era o dia da Penske em Watkins Glen. Sam Hornish Jr. largou na pole na 21ª etapa da Nationwide na temporada, disputada na tarde deste sábado (11) no lendário circuito misto, mas quem dominou toda a corrida foi seu companheiro de equipe, Brad Keselowski. Contudo, a dupla não contava com Carl Edwards, que sempre andou entre os primeiros. Mas foi na última relargada que o piloto da equipe de Jack Roush deu o bote e, faltando duas voltas, tomou a ponta para não perder mais. Foi a sua primeira vitória na temporada 2012.

Keselowski acabou tendo de se contentar com a segunda colocação em Watkins Glen, sustentando a posição mesmo sendo pressionado no fim da corrida por Sam Hornish Jr. Miguel Paludo, único brasileiro da prova, cruzou a linha de chegada em 13º.

Edwards conquistou sua primeira vitória na temporada 2012 da Nationwide (Foto: Divulgação)

Saiba como foi a etapa da Nationwide deste sábado em Watkins Glen

Hornish Jr. conseguiu larger bem e sustentou a liderança em Watkins Glen, sempre seguido por Carl Edwards e Keselowski, pulando para terceiro, enquanto Miguel Paludo era o 13º. Quem não deu a mesma sorte foi Danica Patrick. Ryan Truex escapou na grama no momento da largada, rodou e voltou para a pista bem à frente de Danica, que não pôde evitar o choque frontal. A pilota, que já vinha de um grid ruim, em 23º, caiu para 42ª após parar nos pits, mas depois abandonou a corrida.

Mas a primeira bandeira amarela só veio mesmo na sexta volta, quando o Toyota Camry do venezuelano Alex Popow teve o pneu dianteiro direito furado após forte batida no guard-rail na saída de uma curva. A corrida foi retomada na décima volta, com Hornish Jr. mantendo a liderança, sempre à frente de Edwards. Paludo, por sua vez, perdeu uma posição para Kyle Busch e era o 14º.

Mas Edwards não resistiu à pressão de Keselowski e foi ultrapassado pelo #22 da Penske, que foi pra cima do seu companheiro de equipe e líder da prova, Hornish Jr. A corrida ficou mais disputada após a bandeira verde, com muitas disputas por posição, tanto na ponta quanto no pelotão intermediário.

Com ritmo de corrida impressionante, Keselowski não teve dificuldades para passar Hornish Jr. e assumir a liderança da prova. O piloto da Penske deu a sorte de não ter sua jornada interrompida pela batida de Martin Bell, que danificou o lado direito do seu Ford Mustang e foi para os boxes antes de a direção de prova acionar a bandeira amarela.

Nem mesmo a rodada de Tony Raines, na 19ª volta, obrigou a intervenção do safety-car. Sorte de Keselowski, que conseguiu manter a liderança até a sua parada para troca de pneus e reabastecimento dois giros depois, abrindo caminho para Hornish Jr., que trazia consigo Edwards, sempre pressionando o adversário. Além de Brad, vários pilotos fizeram seus respectivos pit-stops no primeiro quarto da prova.

Na sequência, Hornish Jr, Edwards e tantos outros fizeram seus pit-stops, deixando momentaneamente na liderança Alex Kennedy, que claramente vinha em estratégia distinta dos demais, retardando seu pit-stop. Keselowski vinha logo atrás, em segundo, com Edwards em terceiro e Hornish Jr. apenas em sexto. Paludo, por sua vez, vinha em 15º.

Mesmo com tática diferente, Kennedy não foi páreo para o imparável Keselowski, que retomou a liderança na 29ª volta da prova, abrindo grande vantagem perante os rivais desde então. Alex só parou pouco depois, voltando imediatamente atrás de Miguel Paludo, em 15º. Mas a estratégia de Kennedy não deu certo, já que o piloto bateu seu Toyota Camry e abandonou a prova, causando a segunda bandeira amarela da corrida.

A bandeira verde foi acionada na 43ª volta, sempre com Keselowski na frente, seguido por Kyle Busch, que fez incrível ultrapassagem sobre Joey Logano e conquistou a segunda posição. Paludo se mantinha no pelotão intermediário da prova e vinha em 15º lugar em Watkins Glen. Passada a primeira metade da corrida, Keselowski era o grande favorito à vitória, já que, em momento algum, outro piloto se mostrou forte o suficiente para desafiá-lo.

Mesmo mais rápido, Keselowski não conseguia abrir grande vantagem para o segundo pelotão, que tinha Kyle Busch, Logano, Edwards e Hornish Jr. brigando pelo segundo lugar em Glen. Até que veio mais uma janela para troca de pneus e reabastecimento, a partir da volta 53, e, consequentemente, a ordem da corrida mudou, ainda que de maneira temporária. Durante a janela, Paludo chegou a assumir a ponta faltando 29 voltas para o fim da corrida.

Durante a liderança de Paludo, Logano chegou a rodar na entrada da reta dos boxes em Watkins Glen, mas a corrida seguiu normalmente. A prova só teve a intervenção da bandeira amarela pouco tempo depois, já que o carro de Joe Nemechek ficou parado na pista, para sorte do brasileiro, que liderava o pelotão atrás do safety-car.

Aí Paludo não arriscou e foi para os boxes fazer sua parada faltando 24 voltas para o fim da corrida, caindo para 16º. A liderança ficou para Jeremy Clemens, que retardou sua parada para troca de pneus e reabastecimento, com Keselowski em segundo.

A relargada foi dada na 60ª volta, e logo Keselowski passou Clemens, que tinha ritmo de retardatário. Destaque da corrida, Kyle Busch, por alguns segundos, chegou a tomar a ponta, mas foi superado pelo piloto da Penske na primeira curva do circuito. Paludo vinha bem, evoluindo na corrida, e já era o 12º colocado quando faltavam 20 voltas para o fim da prova.

Lá na frente o cenário era o mesmo de antes da bandeira amarela, com Keselowski mais à frente, seguido por Busch, Edwards e Hornish Jr., que corria por fora na luta pela vitória. Só que aí veio outra bandeira amarela, causada pela batida de Cole Whitt, e novamente o pelotão da frente se reagrupou. Apesar do favoritismo de Keselowski, a corrida estava totalmente indefinida.

Faltando dez voltas para o fim da corrida, bandeira verde em Watkins Glen, mas desta vez, com novo líder. Carl Edwards deu o bote na largada, ganhou as posições de Busch e Keselowski e assumiu a ponta no lendário circuito norte-americano no momento mais crucial da prova. Paludo vinha mais atrás, em 14º.

Mas Keselowski não se deu por vencido. Sem desistir da vitória, o piloto da Penske passou Edwards na reta dos boxes faltando seis voltas para o fim da corrida. Contudo, seu adversário logo retomou a ponta. Quase ao mesmo tempo, Austin Dillon bateu a dianteira do seu carro e furou o pneu dianteiro direito, causando mais uma bandeira amarela em Watkins Glen.

Era chegada a hora da decisão. Duas voltas para o final. Edwards e Keselowski lado a lado. Bandeira verde. Carl Edwards largou melhor e assumiu a liderança da corrida, mas Brad seguia firme na luta pela vitória. Contudo, na última volta, o piloto da Penske não conseguiu a tração ideal e ficou longe do rival, passando a receber a pressão de Hornish Jr. E assim foi até o fim da corrida, com Edwards cruzando a linha de chegada na frente.

Completaram o rol dos dez primeiros Ricky Stenhouse Jr, em quarto, seguido por Ron Fellows, Kyle Busch, Kasey Kahne, Paul Menard, Justin Allgaier e Brian Scott. Miguel Paludo terminou a etapa deste sábado em 13º.

Com os resultados deste sábado, Elliot Sadler se manteve na liderança do campeonato, agora com 783 pontos, 13 a mais em relação a Stenhouse Jr. Hornish Jr. subiu para terceiro, enquanto Austin Dillon perdeu duas posições e caiu para quarto, com 754. Justin Allgaier soma agora 709 pontos.

A próxima etapa da Natiowide será disputada no próximo fim de semana, igualmente em um misto, mais precisamente no Circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, no Canadá.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube