Sem Ímola para ‘hiperatualizações’, equipes miram Barcelona. E “não é tão ruim assim”