Irmãos pilotos

No Dia do Irmão, o GRANDE PRÊMIO mostra quantos irmãos estiveram presentes na Fórmula 1.

V

SCHUMACHER

V

 Michael estreou na F1 em 1991 e viu Ralf chegar à categoria seis anos depois.

Um foi heptacampeão mundial e o outro, bem...foram seis vitórias no total da carreira...

VILLENEUVE

Gilles chegou à F1 em 1977 e é tido como um dos maiores que nunca chegou a um título na categoria.

Jacques (homônimo do filho de Gilles) tentou se classificar para três corridas nos anos 80. Falhou miseravelmente.

SCHECKTER

Jody foi campeão pela Ferrari em 1979 e por muito tempo sustentou o feito até que Michael Schumacher voltasse a ganhar pela equipe.

Ian disputou apenas 18 corridas e teve como melhor resultado um décimo lugar no GP da Holanda de 1977.

STEWART

Pois foi Jimmy quem colocou a família na F1 primeiro: em 1953, no GP da Inglaterra. Só que foi a única corrida sua...

Jackie estreou na F1 12 anos depois e é um dos maiores com seus três títulos mundiais e 27 vitórias!

FABI

Talvez seja o caso mais curioso: Conrado disputou 12 provas, sendo 3 delas substituindo Teo, o próprio irmão!

Já Teo disputou 64, teve 3 poles e nunca conseguiu liderar uma corrida. Quando correu na Cart, deu o carro para o irmão!

STEWART

Emerson é bicampeão da F1 com as conquistas de 1972 e 1974.

Wilson estreou em 1972 e, quatro anos depois, resolveu formar a equipe de F1 que teve seu irmão como piloto.

RODRÍGUEZ

Ricardo estreou na F1 em 1961 e só disputou cinco corridas. Morreu com apenas 20 anos em um GP do México.

Pedro chegou à F1 em 1963 e conseguiu 2 vitórias em 54 corridas. Também morreu em um acidente em uma corrida.

WINKELHOCK

Manfred correu 47 provas entre as temporadas de 1981 e 1985 até ter um acidente fatal numa corrida no Canadá.

Pedro chegou à F1 em 1963 e conseguiu 2 vitórias em 54 corridas. Também morreu em um acidente em uma corrida.

Jo tentou se classificar para sete corridas na F1 em 1989 pela AGS. Não conseguiu para nenhuma.

BRABHAM

Gary tentou se classificar para duas corridas na temporada 1990. Não deu certo para nenhuma.

Já David correu em 24 provas entre 1990 e 1994.