FE
18/08/2016 14:50

Sony, Panasonic e Total entram na disputa para fornecimento de baterias da F-E a partir de 2018

Está muito concorrida a disputa para desbancar a Williams como fornecedora única de baterias da F-E para a a partir da temporada 2018/19. Com Sony, Panasonic e a SAFT, empresa especializada em baterias que tem a gigante petroquímica Total como dona, oficialmente na disputa, já são oito marcas disputando com a Williams
Warm Up / Redação GP, Rio de Janeiro
 A Panasonic gosta das corridas (Foto: Getty Images)

Pelos próximos dois anos, as baterias da F-E seguem nas mãos da Williams Advanced Engineering. Depois disso, porém, é uma grande incógnita. A F-E, que realizaria o processo para escolher a fornecedora de baterias a partir da quinta temporada, em 2018, já adiou a decisão por conta do grande número de companhias gigantes do mercado na disputa. As três últimas a entrarem no balaio são Sony, Panasonic e Total.
 
A informação é do site norte-americano 'Motosport.com'. As duas tradicionais marcas japonesas do ramo eletrônico chegam a uma disputa que esperava desde o começo. As duas estavam com a F-E em sua mira desde a concepção da categoria, em 2013. 
 
A Sony pleiteia a participação numa candidatura em parceria com a McLaren Eletronic Systems, responsável pela produção de todos os motores da categoria na temporada de debute. Não é de hoje que a Sony tem um certo know-how no ramo, produzindo baterias de íon-lítio - como as da F-E - e também investiram na empresa ZMP, especialista no ramo de robótica.
A bateria da F-E (Foto: F-E)
Já a Panasonic teve um envolvimento com a categoria nas duas primeiras temporadas, sendo parceira tecnológica da Dragon por meio da Mouser. Com muito interesse no automobilismo historicamente, a Panasonic sempre mostrou que gostaria de ter um papel na F-E.
 
Outra grande companhia na briga é a Total. A francesa do setor petroquímico está na disputa em conjunto com a SAFT, uma empresa especializada em baterias que a Total comprou ainda este ano. Para a marca se trata de um atrativo ainda mais interessante pelas rivais: são duas grandes montadoras francesas, a Renault e a Citroën, já na categoria.
 
As três terão a própria Williams, a Red Bull Technologies, a Renault, a DS, a Mahindra e uma nona pleiteante que ainda não é conhecida na disputa. Embora ainda se recusem a falar sobre nomes ou decisões, FIA e F-E podem definir a escolhida no final do mês, quando as partes se encontrarem para os testes de pré-temporada em Donington Park.
 
PADDOCK GP #42 RECEBE LUCAS DI GRASSI