F1
25/02/2018 10:30

Confundido com mecânico, Sirotkin lembra história do primeiro encontro com novo patrão Frank Williams

Logo que começou a trabalhar pra valar na base da Williams em Grove, na Inglaterra, o novato Sergey Sirotkin encontrou o seu novo patrão, o icônico Sir Frank Williams, pela primeira vez. Mas não foi o cenário sonhado para o jovem russo
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Sergey Sirotkin vai estrear como titular da F1 pela Williams. E graças ao dinheiro russo (Foto: AFP)

Alguns dos maiores pilotos da história da F1 passaram pelas garagens do mítico Sir Frank Williams, o último dos garagistas da categoria. Nelson Piquet, Alain Prost, Nigel Mansell e Ayrton Senna foram grandes nomes que tiveram a chance de guiar os icônicos carros com as iniciais FW. Os tempos já não são os mesmos para a escuderia de Grove, que hoje está longe de ter pilotos de primeira grandeza. 
 
O novo contratado do time, o novato Sergey Sirotkin conta uma história curiosa ao falar sobre o primeiro encontro com seu novo patrão na sede da Williams, onde foi confundido com um dos mecânicos.
 
“Tem uma história de como ele me viu pela primeira vez na sede da equipe neste ano. Eu estava treinos de pit-stops com os mecânicos e estava com uma pistola na mão. Estava sem uniforme, e aí apareceu Frank, e eu estava de costas para ele”, explicou Sirotkin em entrevista ao site norte-americano ‘Motorsport.com’.
Sergey Sirotkin contou que foi confundido por Frank Williams com um dos mecânicos da equipe (Foto: XPB Images)
“Ele me olhou e disse: ‘Esse novo mecânico parece um pouco bruto, precisa de mais treino com a pistola pneumática’. E então lhe disseram que era eu. Essa foi a primeira vez que nos vimos neste ano”, contou o novo piloto da Williams.
 
Mesmo com a saúde naturalmente debilitada, Frank Williams, atualmente com 75 anos, frequenta a sede da sua equipe na Inglaterra. Sirotkin disse que já viu o novo chefe em algumas oportunidades desde o tempo em que passou a fazer parte do time.
 
“Eu o vi algumas vezes durante os finais de semana. Uma vez fui em um sábado de manhã treinar e ele me perguntou o que estava fazendo ali. Respondi dizendo que tinha ido para treinar. Então, voltei à tarde e o vi enquanto esperava pelo fisioterapeuta. E ele me disse: ‘Outra vez aqui?’”, brincou.
 

O jovem de 22 anos também se mostrou impressionado com o comportamento simples de Paddy Lowe. O diretor-técnico da Williams tem uma trajetória de muito sucesso pela equipe britânica e também por McLaren e Mercedes. Sirotkin se mostrou um admirador de Lowe, uma “pessoa muito sincera, franca e aberta, um verdadeiro fã das corridas”, e foi além.
 
“Você não conhece pessoas assim frequentemente. Este é um exemplo. Eu estava no refeitório da fábrica parado em uma fila longa, e em outra fila, igualmente longa, estava Paddy. Com sua bandeja, como todos os mecânicos e funcionários. E isso é algo incomum de ver”, elogiou o recém-contratado.