F1
02/08/2013 16:19

Ex-diretor de prova do GP do Brasil, Mihaly Hidasy morre aos 74 anos em Volta Redonda

Diretor de prova em 18 edições do GP do Brasil de F1, o húngaro naturalizado brasileiro Mihaly Hidasy morreu aos 74 anos em Volta Redonda, no Rio de Janeiro
Warm Up / Redação GP,  de São Paulo
 Mihaly Hidasy junto do tricampeão mundial Ayrton Senna (Foto: Arquivo pessoal)

Aos 74 anos, Mihaly Hidasy morreu vítima de um infarto na madrugada desta sexta-feira (2), em Volta Redonda, cidade onde morava no estado do Rio de Janeiro. Ele havia sido hospitalizado na noite anterior.

Húngaro de nascimento, Hidasy veio para o Brasil em 1956, aos 19 anos, e iniciou seu envolvimento com o automobilismo na década de 1970. Primeiro, como patrocinador de uma equipe de kart, depois, como organizador de provas da modalidade.
Mihaly Hidasy junto do tricampeão mundial Ayrton Senna (Foto: Arquivo pessoal)
Aos poucos, a participação foi crescendo e Hidasy se tornou comissário desportivo e diretor de provas. Essa última função, ocupou em 18 edições do GP do Brasil de F1, em Jacarepaguá e em Interlagos.

Seu nome é muito lembrado pelo GP do Brasil de 1991, quando foi pronunciado pelo narrador Galvão Bueno, da TV Globo, pouco antes de Ayrton Senna cruzar a linha de chegada para, enfim, vencer sua corrida de casa.

Hidasy deu a bandeirada de chegada para outras duas vitórias brasileiras na F1 no Brasil: em 1986, para Nelson Piquet, no Rio, e para Senna, em 1993, em São Paulo. Também trabalhou nas cinco corridas da Indy que foram disputadas no oval de Jacarepaguá, entre 1996 e 2000.

Nos últimos anos de sua vida, Hidasy atuou no kartismo local no interior do Rio de Janeiro e em um programa de formação de sinalizadores de pista.