Indy
22/04/2018 18:52

Chuva intensa e vento forte fazem Indy adiar continuação do GP do Alabama para segunda-feira

O GP do Alabama não acabou neste domingo. Por causa de chuva intensa e vento forte, a Indy foi obrigada a adiar a continuação da prova para 13h de segunda-feira. Josef Newgarden vinha na liderança
Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo
 Chuva interrompe o GP do Alabama (Foto: IndyCar)

O GP do Alabama parecia condenado desde o início da semana. E todas as piores expectativas, infelizmente, se confirmaram neste domingo (22). A tentativa da direção de prova de antecipar a corrida e escapar da tempestade até foi válida, mas por menos de 20 voltas - período de bandeira verde. O GP do Alabama foi adiado para a segunda-feira.
 
Apesar de fugir da tempestade, a Indy não conseguiu escapar de uma chuva muito forte e persistente que caía desde a manhã, prejudicando Pro Mazda e Indy Lights. A largada foi dada às 16h08 (em Brasília) com bandeira amarela, com a verde durando poucos giros até Charlie Kimball ser tocado por Ed Jones e puxar a amarela.
 
Ali, sob amarela, a pista foi piorando muito com uma chuva que não parava de apertar. A bandeira vermelha foi inevitável após Will Power aquaplanar e bater no muro. A Indy bem que tentou relargar, mas as inúmeras poças seguiam no traçado com muita chuva, vento forte e o céu cada vez mais escuro.
 
A prova está prevista para recomeçar às 13h (em Brasília) na volta 23, justamente quando não há mais previsão de chuva. No entanto, a previsão também é de chuva em Barber na segunda-feira. Josef Newgarden, o pole, é quem sairá de novo na ponta.

"É duro porque aqui estava cheio, muita gente veio nos ver, nós sempre queremos realizar a corrida, uma boa corrida, um show. É muito ruim ter uma corrida atrás de safety-car, sem ação. Quando começamos a correr, as condições estavam OK. Só que a chuva apertou muito antes da primeira amarela. Naquele momento, ficou muito forte, já tinha rios em partes da pista. Já corremos aqui com chuva, mas nada perto do que estava hoje. O que aconteceu com o Will não é um erro do piloto. Nçao tinha como guiar aquaplanando tanto na reta. Era uma situação complicada, mas é o que dava para fazer. Espero que a torcida consiga vir amanhã", disse Newgarden.
 
Sébastien Bourdais, Ryan Hunter-Reay, Alexander Rossi, James Hinchcliffe, Zach Veach, Robert Wickens, Takuma Sato, Scott Dixon e Jones fecham o top-10. A Foyt vive prova terrível e sofre com problemas elétricos, com Matheus Leist em 18º e Tony Kanaan em 20º, já de retardatário.
Josef Newgarden liderava a corrida (Foto: IndyCar)
Confira como foi a primeira parte do GP do Alabama

A tão prometida chuva caiu com gosto no domingo em Barber. Assim, a prova do Alabama precisou ser antecipada em mais de 20 minutos e, mesmo assim, a largada foi realizada com a pista muito molhada. A promessa era de uma prova complicadíssima, como já tinha acontecido com Pro Mazda e Indy Lights mais cedo.
 
Sem condições ideais, a direção de prova deu a largada às 16h08 (em Brasília) com bandeira amarela. E Matheus Leist já ia para os boxes antes da bandeira verde, que veio no giro seguinte.
 
Por incrível que pareça, a bandeira verde veio sem ninguém errar. Josef Newgarden saiu por fora e segurou os ataques de Will Power, fazendo valer a pole. Não demorou muito para que o americano abrisse bastante, com Sébastien Bourdais colando no companheiro de Penske.
 


A melhor briga da parte da frente da corrida era entre duas Andretti. Muito lento, Alexander Rossi segurou Marco Andretti até o momento em que o #98 rodou sozinho e despencou para 21º. Leist seguia em último e já estava bem atrás do resto, tendo largado muito atrás.

Com os primeiros colocados estabelecidos e distanciados - Pagenaud, o nono, já vinha 30s atrás de Newgarden em oito voltas -, a briga no fundo chamava mais a atenção, especialmente com Zachary Claman de Melo sendo superado por Graham Rahal e Spencer Pigot e Tony Kanaan e Andretti em prova de recuperação.

Gabby Chaves foi aos boxes sem conseguir ver nada na pista para limpar a viseira. O colombiano perdeu uma volta, mas não foi pior que Charlie Kimball, que perdeu o controle após ser tocado por Ed Jones e deu no muro. Bandeira amarela no traçado.

Com a corrida parada, vários pilotos foram para a primeira parada nos boxes. Pagenaud era o mais bem posicionado deles, voltando em 16º. Lá na frente, tudo igual, com Newgarden, Power, Bourdais, Hunter-Reay, Dixon, Rossi, Hinchcliffe, Wickens, Veach e Jones no top-10.



A relargada veio na volta 16, mas uma bandeira amarela sempre chama outra. Newgarden quase rodou, mas segurou, enquanto Power não teve a mesma sorte: pisou na poça e deu no muro. O jeito que o australiano bateu dava toda dica de que viria uma bandeira vermelha. E ela veio instantes depois, parando tudo no 18º giro.

Após quase 40 minutos, os motores voltaram a ser ligados, com a pista aparentando condições melhores. Enquanto isso, Claman de Melo tomava uma punição muito pesada: duas voltas por terem mexido no carro #19 em parque fechado. O canadense, naquele momento, ficava atrás até de Power, que já tinha abandonado.

Ainda com a bandeira amarela na pista, o carro de Kanaan apagou e o brasileiro foi sendo superado pelo pelotão. Por sorte, o #14 voltou a funcionar. Rahal era outro que se dava mal, rodando sozinho, mas ao menos voltou sem perder muito terreno. Para Kanaan, problema bem maior e o baiano ia para os boxes com cara de abandono. Aí, no 23º giro, nova bandeira vermelha. A prova só se arrastava.