Stock Car
10/12/2017 12:54

Camilo parabeniza Serra por “título merecido” e diz que abandono na Corrida do Milhão “foi a pedra no sapato”

Thiago Camilo lutou até o fim. Batalhou com um carro que não tinha a maior velocidade nas retas em Interlagos e ficou sem condições de lutar com Daniel Serra para ser campeão em Interlagos. O sonho do título ficou adiado para 2018, um ano que o piloto da A.Mattheis/Ipiranga Racing gostaria que seja de “menos erros”. Como o da pane seca da corrida milionária em Curitiba
Warm Up, de Interlagos
FERNANDO SILVA, de Sumaré
GABRIEL CURTY, de Interlagos

O sonho do título da Stock Car foi adiado por mais uma temporada. Thiago Camilo ficou muito perto, foi o líder após as primeiras corridas do campeonato, batalhou o quanto pode na disputa contra o retumbante Daniel Serra. Com duas vitórias e duas poles, o piloto da A.Mattheis/Ipiranga Racing chegou à última etapa do ano, neste domingo (10), em Interlagos, com chances de ser campeão, mas 15 pontos atrás de Serrinha. Ao longo de todo o fim de semana, Thiago lidou com a falta de potência do motor nas retas e não foi competitivo como nas outras etapas. Camilo finalizou em 14º, enquanto Daniel cruzou a linha de chegada em terceiro e comemorou a conquista do título.
 
Thiago reconheceu que Serra mereceu a conquista. E lamentou não ter chegado ao fim da temporada mais perto do rival para brigar com mais chances pelo título. Na visão de Camilo, o grande fator que o prejudicou na temporada foi a pane seca no fim da Corrida do Milhão, em Curitiba, quando estava em segundo. Daniel venceu a prova e assumiu a liderança do campeonato. Para não perder mais.
 
Em entrevista coletiva pouco após o fim da corrida decisiva em Interlagos, Camilo destacou a superioridade dos carros preparados por Rosinei Campos, o ‘Meinha’, como o fator que fez toda a diferença, mas também ressaltou o espírito de luta que mostrou em todas as etapas da temporada. Que, se não foi o bastante para confirmar o título, mostrou mais uma vez o quanto é aguerrido nas pistas.
Camilo sofreu com a falta de performance nas retas em Interlagos (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
“A gente sofreu o fim de semana inteiro com problema de velocidade. Interlagos é uma pista que exige muito do motor, e com subida na entrada da reta. E hoje a gente não tinha rendimento, não tinha condições de brigar de igual para igual. Tentei até o fim, acreditei até o fim, mas os carros do Meinha mostraram com as posições — primeiro segundo e terceiro — que foram superiores. E isso não acontece na Stock Car desde 2008, se não me engano, quando o Andreas conquistou as três primeiras posições do pódio”, disse Thiago.
 
“Mas fica o sentimento e um gostinho de quero mais. Acho que a gente não fez uma temporada perfeita, cometemos erros que não poderíamos ter cometido, poderíamos ter chegado aqui, mesmo com um equipamento um pouco inferior em algumas etapas, em uma condição muito melhor. E agora acho que não adianta mais lamentar, é erguer a cabeça, começar o ano que vem mais focado, mais determinado e corrigir os erros que a gente teve nesse primeiro ano de Ipiranga/A.Mattheis”, salientou.
 
“De um modo geral, foi uma temporada boa, fantástica... Se você olhar a diferença nossa para os outros concorrentes, foi uma diferença considerável. Eu e o Daniel conseguimos abrir um pouco na tabela. Enfim. É trabalhar mais para o ano que vem, tentar ter um carro mais competitivo, sem erros, ou com menos erros, porque no automobilismo é difícil você nunca errar. Vamos tentar concretizar nosso objetivo, de tantos anos na Stock Car, que é de conquistar o título”, pontuou.
Thiago Camilo chegou até a liderar a prova antes de fazer a parada obrigatória (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)
Thiago ressaltou o quanto o abandono na prova milionária prejudicou sua batalha na luta pelo título. “Acho que o pessoal que acompanha a categoria sabe que a Corrida do Milhão foi uma pedra no nosso sapato. A gente tinha tudo para concretizar o segundo lugar. Não tinha como ganhar a corrida, porque o Daniel estava na frente. Mas foram 25 pontos que fizeram falta para a gente. Poderíamos ter chegado em São Paulo com dez na frente e não com 15 atrás”.
 

“A equipe com certeza fez o melhor, trabalhou para a gente chegar a esse campeonato e não foi possível. O Daniel mereceu, o ‘Meinha’ mereceu, fizeram uma temporada excepcional. Foi muito difícil brigar com eles durante o ano... o Daniel em uma ou duas voltas na maioria das pistas era o primeiro tempo. E a gente sempre buscava alguma solução, às vezes na estratégia, conseguia marcar mais pontos. E o campeonato foi esse. A gente lutando com um equipamento inferior e buscando alternativas para buscar pontos. A gente conseguiu por um determinado momento, lideramos o campeonato, mas aí veio a Corrida do Milhão como a ‘pedra no sapato’”, complementou.
 
Para 2018, o três vezes vencedor da Corrida do Milhão e agora três vezes vice-campeão da Stock Car só tem um desejo. “Fica uma lição para o ano que vem: errar menos e concretizar nosso objetivo”, concluiu.
FALTA DE HONESTIDADE

PERDA DE ETAPA DA FÓRMULA E É DESASTROSA PARA SÃO PAULO


Últimas Notícias
sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
Rali
Rali
Copa Grande Prêmio
MotoGP
Rali
Outras
MotoGP
F1
F1
F1
F-E
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook