Copa GP

Mansano se diz preparado para correr 500 Milhas e afirma: “Vai ser uma baita experiência de vida”

André Mansano foi o campeão do primeiro turno da Copa Stratum Grande Prêmio de Kart e, portanto, um dos primeiros a assegurar uma vaga na tão desejada 500 Milhas da Granja Vianna. O piloto diz que andar ao lado dos grandes nomes do automobilismo nacional será uma experiência marcante
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 André Mansano é o atual líder da Copa Stratum GP (Foto: Emerson Santos/One Photography Media)
Stratum
Fiquei sabendo dessa oportunidade na metade do ano passado. O campeonato já tinha começado e não tive como entrar no meio. Então acompanhei à distância para ver como funcionava. Quando vi que a oportunidade era boa disse que, em 2018, ia me inscrever e ir atrás da vaga. Vi que boa parte dos pilotos eu já conhecia, a maioria corre em outros campeonatos do kart amador.
 
Foi muito legal, uma baita experiência. Embora seja uma grande brincadeira para nós, pois temos uma vida fora daqui, levamos muito a sério. Nos preparamos fisicamente, compramos equipamentos, personalizamos capacete, essas coisas todas. E o mais legal é que você faz muitos amigos. No final das contas, você disputa com amigos na pista. Todo mundo quer ganhar, mas são pessoas que depois da corridas saímos para jantar, enfim, frequentamos a casa um do outro. 
 
Como já tenho grande experiência no kart amador, corro em campeonatos desde 2008, eu me senti preparado para concorrer a essa vaga e a conquistei com o título do primeiro turno. Corro pelo menos um campeonato por ano, tenho muitos amigos no kart amador. Estou muito motivado e empolgado e me preparando o máximo possível, já estou com o meu macacão personalizado pela Corsa em casa e agora contando os dias para o evento chegar. Tenho certeza de que vai ser uma baita experiência de vida. Com todos os pilotos que conversei antes, todos dizem que é uma grande experiência correr com os profissionais em um evento tão grande e bacana. Estou na expectativa.
 
As corridas, por mais que sejam campeonatos diferentes, depois de um tempo não têm mais segredos. Tem que aprender a se comportar dentro da pista, saber a hora de atacar, de defender, tomar as decisões, principalmente. O sucesso dos bons pilotos é saber tomar a decisão certa na hora certa. Claro que tem a questão da sorte, às vezes está com um kart melhor, às vezes pior, circunstância que você não controla. 
 
No meu caso, sempre busquei ser muito regular. Quando eu via que tinha condições de ir para frente, não pensava duas vezes, tentava. Quando não tinha muito conjunto piloto-kart, eu ficava com a cabeça no lugar tentando me controlar. Sou um cara competitivo, então sempre quero ir para frente, mas tenho que me controlar em alguns momentos para não exagerar no bote e na agressividade. Mas isso fui aprendendo com o passar dos anos. As corridas para mim sempre foram encaradas dessa forma. 
Corsa
Quando cheguei à Copa Stratum GP, apenas tentei compreender a forma do campeonato porque dentro da pista não tem muita diferença. Claro, sempre respeitando todos os pilotos, pra mim é uma premissa. Não tenho problema com nenhum piloto, são vários amigos aqui. Toda essa experiência me ajudou a ser o primeiro a conquistar essa vaga. 
 
Sou apaixonado por esporte. Para você ter uma ideia, tenho todas as corridas de F1 gravadas desde 1983 até este ano. Tenho inclusive gravada todas as 500 Milhas de Kart que passaram na televisão. A minha relação com o evento começou aí, sempre ficava vidrado na TV. Nunca imaginei, de verdade, que um dia eu poderia participar. Claro que existem formas, se tiver um bom patrocinador, uma condição financeira boa você consegue, mas nunca levei a sério isso. Quando vi a oportunidade de conquistar a vaga, pensei que era a hora. Vai ser muito louco imaginar que estarei do outro lado da TV agora, em vez do sofá, estarei dentro da pista correndo com pilotos que sempre admirei a vida inteira. Em especial o Rubinho, que acho fora de série, estou louco para encontrá-lo no box, dar um abraço e dizer o quanto eu o admiro. E vários outros pilotos. 
 
Antes de começar a corrida vai ser um tempo de euforia, de acompanhar, estar presente, fazer parte. Na hora que for para a pista o objetivo é ir para frente, ser o mais competitivo possível e jogar em equipe, que é o principal. Já tenho uma boa experiência com as 500 Milhas Rental, já corri cinco edições e sei como é o ambiente. Vou tentar o máximo passar isso para os outros pilotos da equipe. 
 
Se jogarmos como um time, temos tudo para ir para frente. Temos totais condições de disputar a Thunder. No ano passado, a equipe do Grande Prêmio ficou em terceiro e este ano acredito que está mais forte do que no ano passado. Vamos nos divertir, aproveitar, mas tem uma corrida e vamos fazer o máximo possível para ganhar.