24h de Le Mans define programação para setembro. 6 brasileiros já estão inscritos

Bruno Senna, André Negrão, Pipo Derani, Daniel Serra, Felipe Fraga, Marcos Gomes aparecem na primeira lista de inscritos divulgada pelo Automóvel Clube do Oeste para a edição de 2020 das 24 Horas de Le Mans. Em razão da pandemia do novo coronavírus, a prova vai acontecer entre 19 e 20 de setembro e vai ter um grid de 62 carros

O ACO (Automóvel Clube do Oeste), entidade que promove e organiza as 24 Horas de Le Mans, principal corrida de endurance do calendário e a última e derradeira etapa da supertemporada 2019/20 do Mundial de Endurance, anunciou a programação da prova, que excepcionalmente em 2020 vai acontecer em setembro. A disputa estava originalmente marcada para o último fim de semana, mas a pandemia do novo coronavírus na Europa forçou a organização a mudar a data. O cronograma está dividido em cinco dias de atividades, iniciando em 16 de setembro, com a corrida sendo realizada entre 19 e 20 do nono mês. Além da programação, o ACO também anunciou a primeira lista prévia para as 24 Horas de Le Mans, que já tem seis pilotos brasileiros em meio a um grid formado por 62 carros e outros 4 reservas.

O primeiro dia da programação, na quarta-feira, vai ser todo dedicado à vistoria técnica. Geralmente, o procedimento é aberto ao público. O comunicado emitido pela ACO nesta quinta-feira não faz menção a portões fechados, mas também não há um posicionamento sobre vendas de ingressos no momento.

O comunicado diz que a 88ª edição das 24 Horas de Le Mans, adiadas para 19 e 20 de setembro, vai “seguir um cronograma de quatro dias particularmente cheios de ação e que prometem ser mais intensos e empolgantes do que nunca para as 62 equipes envolvidas. Entre quinta-feira, 17, e domingo, 20, veremos quatro sessões de treinos livres, classificação, a sessão Hyperpole e um treino de aquecimento, culminando com a corrida de resistência de 24 horas”.

Vai ter 24 Horas de Le Mans. A prova acontece entre 19 e 20 de setembro (Foto: Signatech Alpine)

“Ciente do impacto financeiro da situação atual nas equipes, o ACO esteve empenhado em garantir que seus recursos não fiquem retidos por muito tempo. Por isso, reorganizamos o cronograma das sessões de treino, vitais para a boa preparação nas corridas, e a classificação, o novo procedimento Hyperpole, o aquecimento e a corrida, reunindo tudo em um período de quatro dias. As 24 Horas de Le Mans vão ser realizadas de quinta a domingo, mantendo o nível de qualidade necessário para um evento internacional tão icônico”, explicou a empresa.

A quinta-feira, portanto, abre a programação com dois treinos livres durante o dia: o primeiro, de 10h às 13h locais (5h às 8h pelo horário de Brasília); e o segundo, das 14h às 17h (9h às 12h de Brasília). O primeiro treino classificatório, com todos os carros, está marcado para 17h15 (12h15 de Brasília) de quinta-feira, com 45 minutos de duração. O dia reserva o terceiro treino livre, no período noturno, das 20h às 0h locais (15h às 19h pelo horário oficial brasileiro).

A sexta-feira compreende uma grande novidade, a Hyperpole, sessão com menos carros na pista para buscar a melhor posição no grid de largada. “Haverá mais sessões de treinos livres e a tão esperada Hyperpole, onde 24 competidores vão acelerar no circuito de 13,626 km em um teste de velocidade absoluta e sem o tráfego pesado”.

O ACO encerra o comunicado dizendo que “as 24 Horas de Le Mans 2020 tiveram de ser reorganizadas devido ao contexto internacional sem precedentes, mas foram feitos todos os esforços para garantir uma competição de alta qualidade, onde a segurança continua sendo prioridade”.

Seis brasileiros (até agora) e um destino

A lista prévia divulgada pela organização das 24 Horas de Le Mans ainda traz muitos espaços vazios, mas já conta com um bom número de brasileiros no grid. Bruno Senna, um dos pilotos que compete regularmente no Mundial de Endurance, vai compor o trio da Rebellion #1 ao lado do francês Norman Nato e do americano de origem brasileira Gustavo Menezes na principal classe do grid, a LMP1, que tem como favoritos os dois Toyota TS050 Hybrid e somente sete inscritos.

Na LMP2, destaque para o atual campeão mundial, André Negrão, que vai integrar a tripulação da equipe francesa Alpine Signatech ao lado dos também gauleses Pierre Ragues e Thomas Laurent. Pipo Derani vai correr pela norte-americana DragonSpeed ao lado do mexicano Memo Rojas e do inglês Ryan Cullen. A LMP2 é a classe com mais carros inscritos, 26. Destaque também para o trio todo feminino da equipe Richard Mille, formado pela inglesa Katherine Legge, a colombiana Tatiana Calderón e a alemã Sophia Flörsch.

Daniel Serra, André Negrão e Felipe Fraga estão na lista de inscritos para a prova em 2020 (Foto: José Mário Dias)

Na LMGTE-Pro, o bicampeão Daniel Serra vai pilotar a Ferrari 488 GTE Evo da tradicional equipe italiana AF Corse ao lado de Alessandro Pier Guidi e de James Calado. O trio venceu as 24 Horas de Le Mans no ano passado. A categoria vem esvaziada neste ano, com somente oito carros inscritos.

Por fim, a LMGTE-Am, classe que mistura pilotos profissionais e gentlemen-drivers, vem com 21 carros e, por enquanto, dois brasileiros: Felipe Fraga, campeão da Stock Car em 2016, que vai correr ao lado do americano Ben Keating e do holandês Jeroen Bleekemolen com um Porsche 911 RSR da equipe alemã Team Project 1. E Marcos Gomes, que faturou o título da principal categoria do automobilismo brasileiro em 2015, vai correr pela equipe de Taiwan Hub Auto Racing ao lado de Morris Chen, também de Taiwan, e do australiano Timothy Slade.

Quatro carros estão escalados como reservas: um LMP2 da Dragon Speed e três na LMGTE-Am: das equipes Iron Lynx, outro da Team Project 1 e um da D’Station Racing.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube