Endurance

Alonso admite que “há um ano e meio não teria pensado” em vencer em Le Mans e Daytona

Fernando Alonso não poderia estar mais satisfeito. No final de semana, venceu as 24 Horas de Daytona ao lado de Kamui Kobayashi, Jordan Taylor e Renger van der Zande. Com triunfo também em Le Mans, o espanhol admitiu que há dois nãos não imaginaria ter as duas conquistas
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Fernando Alonso (Foto: IMSA)
Fernando Alonso conseguiu mais uma vez. No final de semana, o espanhol, ao lado de Kamui Kobayashi, Jordan Taylor e Renger van der Zande, conquistou a vitória nas 24 Horas de Daytona, feito que admitiu que, há menos de dois anos, nunca pensaria alcançar.
 
O bicampeão da F1 fez uma prova exemplar. Em seu primeiro stint, conseguiu colocar o Cadillac #10 da Wayne Taylor na primeira colocação. No final, já debaixo de muita chuva, conseguiu bater o carro #31 da Action Express.
 
“Estou muito feliz, pois foi uma corrida muito interessante pelas condições, pela dificuldade que as corridas de 24 horas tem, com momentos bons e ruins, em que tem que manter um nível constante”, explicou.
O Cadillac #10 da Wayne Taylor Racing no Victory Lane de Daytona (Foto: Daytona International Speedway)
“[Com a chuva] Tínhamos problemas com a visibilidade e o aquaplaning. Além disso, na parte interna do circuito, com tanta grama como nesse traçado, a água caía e formavam poças constantemente, e assim que tentavam limpá-la, 30s mais tarde tinha mais água do mesmo lugar”, continuou.
 
Mas Daytona não foi a primeira vitória em uma corrida de 24 horas. Em 2018, Fernando também subiu ao degrau mais alto do pódio nas icônicas 24 Horas de Le Mans. Observando os dois triunfos, o piloto admitiu que não esperava vencer nas duas ocasiões.
 
“Se olhar para trás, depois de tantos anos na F1, tentar aventuras fora da F1, em corridas históricas, muito importantes dentro do automobilismo, começando com a edição de 2017 da Indy 500, depois com Le Mans e agora Daytona, nunca teria pensado”, frisou.
 
“Não tenho experiência em corridas de longa duração, com carros de cockpit fechado e com 24 horas de duração onde tem grandes rivais na pista. Mas tive a sorte de estar no momento certo, no lugar certo, em Le Mans com Toyota e aqui com Cadillac, de realizar duas boas corridas, e levar dois troféus para casa, o que, como disse, há um ano e meio não teria pensado”, encerrou.