Após análise na sede na Alemanha, Toyota enfim identifica defeito técnico que custou vitória nas 24 Horas de Le Mans

A Toyota enfim identificou a falha que lhe tirou a vitória das mãos nas 24 Horas de Le Mans. A marca ainda segue investigando o problema, mas revelou que o contratempo seu deu um por "defeito técnico na linha de ar entre o turbo e o intercooler". Kazuki Nakajima pilotava o carro #5 quando parou a seis minutos do fim

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

A Toyota finalmente identificou o problema que custou a vitória nas 24 Horas de Le Mans, corrida que foi disputada no último domingo (19). A falha técnica que resultou em uma perda repentina de potência quando Kazuki Nakajima conduzia o TS050 #5 na penúltima volta foi atribuída a um "defeito na linha de ar entre o turbo e o intercooler", segundo o relatório publicado pela marca japonesa.

 
"O carro #5 sofreu um defeito técnico em um conector na linha de ar entre o turbo e o intercooler, causando uma perda de controle do turbo. A equipe tentou modificar as configurações de controle para restaurar a potência, e isso deu certo, o que permitiu ao piloto concluir a volta final. No entanto, isso foi demasiado tarde para completar o giro dentro dos seis minutos necessários", afirmou o comunicado do time nipônico, nesta quinta-feira (23).
 
Por isso, carro, que era pilotado também por Anthony Davidson e Sébastien Buemi, além do japonês, acabou fora da classificação, apesar de ter completado o mesmo número de voltas da Porsche, que acabou faturando a vitória. 
Nakajima é carregado após descer do carro (Foto: Getty Images)

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Em primeiro momento, ainda na pista, a Toyota não conseguiu encontrar a causa para a falha, que foi identificada mesmo após o retorno dos carros à sede da equipe, na Alemanha, na última terça-feira. 

 
A análise vai seguir para determinar a raiz do problema, mas a marca enfatizou que o dano não está relacionado com os contratempos de motor enfrentados pelo time durante as 6 Horas de Spa-Francorchamps, corrida que aconteceu em maio, também dentro da temporada do Mundial de Endurance.
 
"Neste momento, ainda não está claro o que exatamente provocou a falha, por isso investigações mais abrangentes vão seguir em andamento para determinar a razão exata do problema com objetivo de estabelecer contramedidas para evitar qualquer repetição no futuro", concluiu a nota.
 
O Toyota #5 ocupava a liderança da prova em Le Mans com mais de um minuto de diferença para o Porsche #2, quando apresentou o problema e parou na pista. Por conta da falha, Neel Jani, Marc Lieb e Romain Dumas acabaram faturando o triunfo para a marca alemã.
PADDOCK GP #34 ENTREVISTA CHRISTIAN FITTIPALDI E FALA SOBRE LE MANS E F1

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n<e.length;n++)if(child=e[n],e[n].id.substr(0,t.length)==t)return e[n];for(var c=0,n=1;nc&&(c=e[n].offsetWidth);return c>80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube