Beneficiado, Senna sobe para primeira fila e lidera ‘turma dos não-híbridos’ em Spa-Francorchamps

Após fazer o terceiro melhor tempo do dia na sua média com Neel Jani, Bruno Senna larga com Rebellion da segunda posição na corrida dos LMP1 em Spa-Francorchamps. André Lotterer completa o trio

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O protótipo R13 #1 vai largar na primeira fila das 6h de Spa-Francorchamps após a punição sofrida pela Toyota na tarde desta sexta-feira (4). O carro da Rebellion foi comandado por Bruno Senna e Neel Jani durante os treinos classificatórios da prova e obteve o tempo médio de 1min56s425. Esse resultado os colocava em terceiro lugar da LMP1, mas, com a desclassificação do Toyota #7, o R13 vai sair na primeira fila, logo atrás do #8 encabeçado por Fernando Alonso.

Bruno Senna é destaque na LMP1 com a equipe Rebellion (Foto: Divulgação/MF2)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Em uma sessão marcada pelo acidente de Pietro Fittipaldi, Senna obteve o melhor tempo do carro — 1min56s264, contra 1min56s586 de Jani — mesmo correndo com pneus mais desgastados que o suíço. Apesar disso, o brasileiro ressaltou o desempenho de ambos na composição da média.

“O Jani andou uma volta inteira a 80 km/h por causa de uma bandeira amarela em todo o circuito e não pôde aquecer os pneus devidamente em seguida, quando também tinha combustível para somente uma tentativa. Nossos pneus foram para o forno depois do acidente com o Pietro Fittipaldi e isso me permitiu tirar mais do carro”, explicou.

Mesmo com a bandeira vermelha interrompendo precocemente os treinos, Bruno conseguiu encaixar uma volta suficiente para atingir suas ambições. Porém, assim como destacou Fernando Alonso, reconhece que em uma prova de Endurance a posição de largada possui importância reduzida frente ao desempenho que será apresentado amanhã junto de Jani e Lotterer.

“A Toyota fez o que se esperava dela. Não conseguimos alcançar 100% do nosso potencial, mas num qualifying assim, interrompido por bandeira vermelha, o resultado foi bom. E atingimos nosso objetivo, que era ficar à frente dos carros não híbridos. Amanhã será outro esquema, porque é uma corrida longa e que exigirá bastante confiabilidade. Hoje, por exemplo, várias equipes enfrentaram problemas”, lembrou.

A largada das 6h de Spa-Francorchamps ocorre no sábado (5), às 8h30 (de Brasília).

QUEM É MAIS CULPADO?

PADDOCK GP DISCUTE BATIDA DE RICCIARDO E VERSTAPPEN EM BAKU

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube