Endurance

Chuva forte leva direção de prova a interromper 24h de Daytona com bandeira vermelha. Alonso lidera

Apesar da bandeira vermelha, o cronômetro segue a contagem regressiva. A direção de prova optou por mandar todos os carros para o pit-lane por conta da chuva forte que vigora há mais de uma hora no circuito. Fernando Alonso lidera na classe principal
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
A forte chuva que vigorou no fim da noite e no amanhecer deste domingo (27) levou a direção de prova a acionar a bandeira vermelha e interromper a corrida com cerca de sete horas para seu desfecho. Apesar da bandeira vermelha, o cronômetro mantém a contagem regressiva, de modo que a prova vai terminar no horário previsto, às 17h35 (horário de Brasília).

A corrida foi retomada pouco depois de 9h (de Daytona, 12h de Brasília), depois de 1h45min de interrupção, mas a bandeira verde logo deu lugar novamente a outra bandeira amarela em todo o circuito por conta de um forte acidente na relargada. Dois dos envolvidos, o Lamborghini Huracán #46 da equipe Ebimotors, guiado por Taylor Proto, e o Porsche 'Grunge' #9 pilotado por Zacharie Robichon, da equipe Pfaff, abandonaram a prova.
 
Ao longo da noite, a classe DPi viu muitas grandes disputas pela liderança, tendo na frente o Cadillac #10 da Wayne Taylor Racing, guiado por Kamui Kobayashi, o Acura #6 da Penske, pilotado por Dane Cameron, Pipo Derani e Felipe Nasr, com o Cadillac #31 da Action Express. Antes de a chuva dar as caras com força em Daytona, Nasr fez grande manobra de ultrapassagem sobre Cameron para tomar a liderança provisória da categoria, a principal das 24h de Daytona.
 
Até que Alonso reassumiu o volante do Cadillac #10 em substituição a Jordan Taylor, que cumpriu um longo stint noturno. E o espanhol, assim como foi no começo da prova, novamente deu um show de pilotagem e reassumiu a liderança justamente no período mais crítico da corrida, durante a chuva. A prova seguiu com bandeira amarela em todo o circuito até que a bandeira vermelha foi acionada em Daytona.
Líder em Daytona, Alonso encara a chuva durante a bandeira vermelha (Foto: Reprodução)
Dane Cameron e Ricky Taylor, com os Acura #6 e #7, colocam a Penske em segundo e terceiro, respectivamente. Pipo Derani, que assumiu novamente a pilotagem do Cadillac #31, é o quarto, ainda na volta do líder, seguido pelo Nissan DPi #54 pilotado por Colin Braun, este quatro giros atrás. Tristan Vautier ocupava o volante do Cadillac #85 da JDC-Miller, carro que tem Rubens Barrichello como um dos pilotos. O time está em sexto lugar, a sete voltas do líder.
 
A Mazda, que apresentou problemas com seus dois protótipos a partir da sexta hora, deu adeus às chances de vitória. Um pequeno incêndio danificou o #77, dono da pole com Oliver Jarvis, enquanto o #55 enfrentou problemas com a bomba de combustível.
 
Na LMP2, James Allen lidera a categoria com três voltas de vantagem para Pastor Maldonado, o segundo colocado. 
 
A batalha é bem mais intensa na classe GTLM, que foi dominada pela Porsche no início da prova, mas agora tem a liderança do italiano Alessandro Pier Guidi, a bordo da Ferrari 488 GTE, com outros cinco carros na mesma volta: Laurens Vanthoor a bordo do Porsche 911 #912, Joey Hand, com Ford GT #66 da Ganassi, Frédéric Makowiecki, com o Porsche #911, Ryan Briscoe, com o Ford GT #67, e Colton Herta, com a BMW M8 #25, que tem Augusto Farfus como um dos seus tripulantes.
 
A luta pela vitória também segue muito aberta na classe GTD, com nada menos que 12 carros na mesma volta do líder, por enquanto AJ Allmendinger, com um Acura NSX #86. Simona de Silvestro estava ao volante do Acura NSX da equipe Heirincher/Meyer Shank, da tripulação feminina da qual faz parte também Bia Figueiredo, Christina Nielsen e Katherine Legge, ocupando a sétima colocação da classe. Jeroen Bleekemolen, piloto da equipe Riley, que conta também com Felipe Fraga a bordo do Mercedes AMG GT3 #33, que liderou por um bom tempo a categoria, aparece em 12º, mas ainda na volta do líder. 
 
Andrea Bertolini, italiano que faz parte da equipe brasileira Via Italia ao lado de Chico Longo, Marcos Gomes e Victor Franzoni, aparecia em 15º na classe, a duas voltas do líder. E a Ferrari 488 #51 da equipe Spirit of Race, que teve Daniel Serra como um dos integrantes, abandonou a disputa.