Endurance

Com direito a recorde, Jarvis põe Mazda na pole das 24 Horas de Daytona. Gomes lidera grid na GTD

Oliver Jarvis quebrou um recorde que já durava 26 anos e confirmou o favoritismo exibido pela Mazda desde os testes no começo do mês. A surpresa foi a boa performance dos Acura DPi da Penske. Ricky Taylor, companheiro de Helio Castroneves, obteve o segundo tempo. Marcos Gomes foi o mais rápido na GTD, colocando a equipe brasileira Via Italia na pole da categoria
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
Rodrigo Mattar: quem é quem no grid das 24 Horas de Daytona 2019


A Mazda confirmou a grande performance exibida nos testes coletivos no início de janeiro e garantiu a pole-position das 24 Horas de Daytona em 2019 na tarde desta quinta-feira (24). Com direito ao novo recorde da pista, 1min33s628 (220,146 km/h de média), quebrando uma marca que durava 26 anos e pertencia a PJ Jones, o britânico colocou o Mazda DPi #77 na posição de honra geral da clássica prova. A surpresa foi que os dois Acura da equipe Penske superaram o segundo carro da Mazda. Ricky Taylor, companheiro de equipe de Helio Castroneves no #7, garantiu o segundo lugar no grid, 0s188 atrás, e Juan Pablo Montoya fechou o top-3, deixando o Mazda #55, pilotado na sessão classificatória por Jonathan Bomarito, em quarto.
 
Felipe Nasr, atual campeão do SportsCar ao lado de Eric Curran, colocou o Cadillac DPi #31 da Action Express em quinto lugar. Já a outra tripulação da equipe, que conta com o protótipo #5, enfrentou problemas com o carro e não conseguiu classificar. Assim, o conjunto, que tem João Barbosa, Filipe Albuquerque, Mike Conway e Christian Fittipaldi, que se despede das pistas neste fim de semana, vai largar em último dentre os protótipos.
 
O Cadillac DPi #10 da equipe Wayne Taylor, que conta com Fernando Alonso, Renge Van der Zande, Kamui Kobayashi e Jordan Taylor, teve o norte-americano ao volante para a classificação. A tripulação ficou com o sexto tempo no geral, se classificando à frente do Cadillac #50 da equipe Juncos, que teve ao volante na sessão o argentino Agustín Canapino. Tristan Vautier, com o Cadillac da equipe JDC, que tem como um dos integrantes da tripulação o brasileiro Rubens Barrichello, ficou em oitavo no grid de largada.
Oliver Jarvis conduziu a Mazda à pole em Daytona e marcou o novo recorde da pista (Foto: Mazda)
Destaque também para a grande performance de Marcos Gomes, que foi o escolhido pela equipe brasileiro Via Italia para acelerar a Ferrari 488 GT3 na classificação da classe GTD. O brasileiro também quebrou o recorde da pista na sua classe e garantiu a posição de honra do grid. O time ainda conta como pilotos Chico Longo, Victor Franzoni e o experiente piloto italiano Andrea Bertolini.
 
Ao todo, 12 são os brasileiros inscritos para a prova: Christian Fittipaldi, Felipe Nasr, Pipo Derani, Helio Castroneves e Rubens Barrichello na DPI; Augusto Farfus na GTLM; Bia Figueiredo, Daniel Serra, Felipe Fraga, Marcos Gomes, Chico Longo e Victor Franzoni na GTD.
 
A largada para a edição de 2019 das 24 Horas de Daytona está marcada para 17h35 (horário de Brasília) deste sábado. A prova vai contar com transmissão ao vivo, em janelas, pelo canal por assinatura Fox Sports 2.
 
 
Saiba como foi a classificação para as 24 Horas de Daytona
 
 
Marcos Gomes põe brasileira Vita Italia na pole da GTD
 
Diferente do clima chuvoso pela manhã, a sessão classificatória começou com tempo bom e teve início pontualmente às 15h35 (horário de Daytona, 18h35 de Brasília), com a presença na pista dos pilotos da classe GTD. Cada equipe designou um nome para acelerar na sessão, sendo Marcos Gomes, da equipe brasileira Via Italia, e Bia Figueiredo, os únicos brasileiros na pista, escolhidos para marcar o tempo na definição do grid em uma duração total de 15 minutos.
 
Nas primeiras voltas, foi justamente Marcos Gomes o líder da sessão com a Ferrari 488 GT3 da Via Itália, seguido por outra Ferrari, a #51 da Spirit of Race, pilotada por Mathias Lauda, mas que tem Daniel Serra como um dos tripulantes.
Marcos Gomes festeja a pole na classe GTD (Foto: Reprodução/Twitter)
Na sequência das voltas, Gomes melhorou seu tempo para registrar 1min45s257, apenas 0s067 mais rápido que a Mercedes-AMG GT3 #33 da Riley, pilotada por Ben Keating, piloto que tem como um dos companheiros de equipe o brasileiro Felipe Fraga. O tempo registrado por Gomes é o novo recorde de Daytona para a classe GTD.
 
No fim das contas, as primeiras colocações foram mantidas, e Gomes colocou a brasileira Via Italia, chefiada por Thiago Meneghel, na pole da classe GTD. Bia Figueiredo, que comandou a tabela de tempos na simulação de classificação no início do mês, colocou o Acura NSX GT3 da Meyer Shank with Curb Argajanian em 11º no grid da categoria.
 
 
Porsche #911 garante posição de honra na equilibrada GTLM
 
Em seguida, foi a vez da definição do grid da classe GTLM, que trazia a expectativa de uma grande batalha envolvendo os carros da Ferrari, Porsche, da campeã Corvette, da Ford GT e dos BMW M8. Alessandro Zanardi e Augusto Farfus, que fazem parte da tripulação dos BMW #24 e #25, respectivamente, viram os companheiros de equipe John Edwards e Connor de Phillippi ganharem a pista.
 
Durante a sessão, as duas Corvette trabalharam em conjunto para buscar a maior velocidade possível no vácuo. Trabalho que priorizava a dupla campeã do SportsCar em 2018, Antonio García e Jan Magnussen.
Nicky Tandy posa para foto após faturar pole para a Porsche na GTLM (Foto: Daytona International Speedway)
Restando cinco minutos para o fim da sessão, a pole provisória era do britânico Nick Tandy, com o Porsche 911 RSR #911 e o tempo de 1min42s257, novo recorde da pista para a classe, sendo 0s377 mais rápido que Ryan Briscoe, a bordo do Ford GT #67 da Ganassi — que contava com a nova pintura com as cores da Castrol. Mas o australiano foi batido pela Corvette C7.R #3 de Magnussen.
 
A pole acabou ficando mesmo com a Porsche, mas diante de um equilíbrio considerável na GTLM: quatro marcas nas quatro primeiras posições. Tandy, vencedor das 24 Horas de Daytona ao lado de Earl Bamber e Nico Hülkenberg, sustentou a posição de honra, seguido pela Corvette de Magnussen, o Ford GT guiado por Briscoe e a Ferrari 488 GTE pilotada pelo italiano Davide Rigon. Diferença de 0s455 do primeiro para o quarto lugar. As BMW ficaram mais atrás: Edwards colocou a M8 GTE em sétimo lugar no grid da classe, com De Phillippi ficando logo atrás.
 
 
Com direito a recorde, Mazda confirma favoritismo e larga na frente
 
O desfecho da classificação teve na pista a esvaziada LMP2 e a aguardada DPi. Fernando Alonso, uma das grandes estrelas das 24 Horas de Daytona 2019, viu do pit-lane Jordan Taylor acelerar o Cadillac DPi #10. Mas a concorrência era duríssima por conta dos grandes adversários na pista: Felipe Nasr a bordo do Cadillac da Action Express, Ricky Taylor e Juan Pablo Montoya a bordo dos Acura da Penske, e os Mazda DPi, grande destaque do Roar Before 24, com Jonathan Bomarito a bordo do #55, e Oliver Jarvis ao volante do #77.
 
Uma das baixas da sessão foi o Cadillac DPi #5 da Action Express. Originalmente, Filipe Albuquerque faria as tentativas de volta rápida para a tripulação, que conta também com Christian Fittipaldi, João Barbosa e Mike Conway. Mas problemas no protótipo impediram a participação do luso. Assim, o carro vai largar em último dentre os protótipos na pista.
Fernando Alonso acompanhou do pit-lane a classificação em Daytona (Foto: Reprodução)
Jarvis abriu a sessão na frente com a Mazda ao registrar 1min33s957, liderando uma dobradinha momentânea da Mazda com Bomarito em segundo. Em seguida, Jarfis foi ainda melhor e quebrou o recorde da pista: 1min33s628, quebrando uma marca que durava 26 anos e que pertencia a PJ Jones, a bordo de um Eagle Toyota: 1min33s875.
 
Se a Mazda confirmava o favoritismo à pole, a Penske surpreendia com seus dois Acura: Ricky Taylor em segundo e Montoya aparecendo em terceiro lugar. Segundo colocado, Taylor aparecia a 0s188 do tempo de Jarvis. Só então, em quarto, aparecia a outra Mazda, guiada por Bomarito, à frente de Nasr, Jordan Taylor e do argentino Agustín Canapino.
 
Na esvaziada LMP2, que conta com apenas quatro carros, levou a melhor o jovem australiano James Allen, da DragonSpeed, pole-position da classe com o tempo de 1min35s904, ficando em décimo na classificação geral.