Com López, Toyota #7 lidera abertura do Prólogo do WEC em Barcelona

José María López, o 'Pechito, colocou o Toyota #7 na dianteira do primeiro dia dos testes de pré-temporada do WEC, em Barcelona, com o tempo da manhã. O argentino teve o novo companheiro, Brendon Hartley, também bem rápido e Kazuki Nakajima, no #8, líder da tarde. Não-híbrido mais rápido, Rebellion #1 ficou somente 0s9 atrás

O Prólogo do Mundial de Endurance começou nesta terça-feira (23) e terminou assim como foi toda a temporada passada: com a Toyota na frente, mas sem tanta vantagem para as equipes privadas. José María López foi quem cravou a melhor volta a bordo do #7 no Circuito da Catalunha, em Barcelona. A sessão da tarde, entretanto, teve uma longa interrupção, de mais de 30 minutos, por conta de um problema com as zebras da curva 5.
 
Ainda na parte da manhã, TS050 Hybrid já liderava: 'Pechito' López andou forte com o #7 e cravou um tempo que não seria batido: 1min29s991. Quando a bandeira verde voltou a aparecer, à tarde, Brendon Hartley – substituto de Alonso na marca japonesa – pulou para a dianteira. No fim das contas, apareceu Nakajima com um giro de 1min30s114.
 
O melhor tempo do carro #7 durante a tarde acabou sendo o de Kamui Kobayashi, apenas 0s066 mais lento que a volta do compatriota, mas sem alcançar o que havia sido feito na primeira parte do dia. 
Os dois carros da Toyota (Foto: Toyota)

Na comparação com os carros não-híbridos, diferença de menos de 1s durante a tarde: Norman Nato, com o Rebellion #1, cravou 1min31s073. A outra Rebellion, do #3, ficou com Gustavo Menezes, esse já cerca de 0s3 atrás do companheiro. Bruno Senna e Felipe Nasr tomaram a pista pela Rebellion e deram, respectivamente, 39 e 41 voltas.

 
A Ginetta chegou a aparecer à frente da Rebellion, mas a volta de Mathias Beche foi cancelada por conta de bandeiras amarelas que haviam sido acionadas.
 
Na classe LMP2, Paul di Resta foi quem dominou as ações com o Oreca #22 da United Autosports: a volta ficou em 1m33s110. O segundo lugar coube aos atuais campeões mundiais, que mantiveram apenas André Negrão do trio que faturou o título. O brasileiro esteve na pista, mas o mais rápido do carro foi Thomas Laurent – Pierre Ragues é o outro componente.
O United Autosports de Paul di Resta (Foto: United Autosports)
Miguel Molina, com o 488 GTE #21, anotou 1min43s814 e liderou a GTE Pro; por fim, na GTE Am, o domínio ficou com a equipe Project 1 com os carros Porsche da geração anterior. Matteo Cairoli cravou 1min44s843 para dormir com a ponteira.
 
Os treinos continuam em dois turnos na quarta-feira.
 
Paddockast #25
Bênçãos e Maldições da Fórmula E

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar