Com performance da Toyota limitada, Kobayashi diz que LMP1 do WEC virou “piada”

A Rebellion teve grande vantagem em Austin pelo WEC, tirando proveito das limitações profundas de performance aos carros da Toyota. Kamui Kobayashi definiu a corrida como “estúpida” e clamou por mudanças no Mundial de Endurance

Kamui Kobayashi participou de uma corrida estranha do Mundial de Endurance em Austin no último fim de semana. Representando a Toyota em uma classe LMP1 que contou com apenas três carros, o japonês do carro #7 ficou distante da vitória por conta das restrições de performance ao TS050. Com a Rebellion vencedora em corrida tranquila, Kobayashi sente que a principal categoria do WEC virou “uma piada”.
 
“Eu não entendo. Eles dizem que é só uma desvantagem, mas já decide quem vai vencer”, disse Kobayashi, questionado pelo ‘Motorsport.com’. “Já sabíamos antes da corrida. Foi a pior corrida que eu já participei. Se a gente mantiver isso, ninguém virá a essas corridas. Isso é para ser uma corrida de tecnologias, não de balanço de performance. Assim que você vê nosso carro, todo mundo diz que parece lento. O que o público pensa? Parece muito estúpido”, seguiu.
A Toyota tem rendimento limitado no WEC (Foto: Toyota)

O Toyota TS050 em 2017 completou volta em Austin em 1min47s0. Em 2020, com restrições, a melhor volta na classificação foi de 1min49s1. A Rebellion de Bruno Senna, Gustavo Menezes e Norman Nato fez pole com 1s6 de vantagem e partiu para vitória com 51s de vantagem sobre o #8 de Sébastien Buemi, Brendon Hartley e Kazuki Nakajima. O #7, de Kobayashi, Mike Conway e José María López, ficou duas voltas atrás.

 
“Não me importo se estamos lentos, mas precisamos pensar de forma mais ampla a respeito de o que deixa as pessoas empolgadas com esse campeonato. A Rebellion ganhou a corrida, mas provavelmente não está feliz. Quem está feliz? Ninguém. Todos voltam para casa frustrados, é meio que uma piada”, lamentou.
 
Com o balanço de performance variando prova após prova, o campeonato fica ao menos embolado. Os três carros de tempo integral da LMP1 aparecem separados por 19 pontos na classificação, com o #7 em primeiro.
 

Paddockast #49
RAÍ CALDATO: O ARTISTA PREFERIDO DE LEWIS HAMILTON

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube