Scherer vê “luta difícil” em vitória sem rádio e com suspeita de fratura no pé em Le Mans

Fabio Scherer conduziu carro #34, da Inter Europol, para vitória na classe LMP2 das 24 Horas de Le Mans com comunicação improvisada via pit-wall e com suspeita de fratura no pé esquerdo. Piloto suíço foi atropelado por um bólido da classe GTE Am

A corrida das 24 Horas de Le Mans indubitavelmente exige da parte física dos pilotos participantes, mas a missão foi ainda mais complicada para Fabio Scherer. Com suspeita de fratura no pé esquerdo e sem rádio para se comunicar com os engenheiros, o suíço conduziu o carro #34 da Inter Europol para a primeira vitória de uma equipe polonesa na história do WEC, na classe LMP2. A diferença para o #41 da WRT, que terminou em segundo, foi de pouco mais de 25s.

“É incrível, foi uma luta tão difícil até o último segundo na linha de chegada. Para uma equipe privada da Polônia conquistar a sua primeira vitória agora, é incrível. Foi um ano de trabalho árduo, porque depois do ano passado reconstruímos a equipe um pouco diferente e agora vencemos, então isso é inacreditável”, comemorou Scherer.

Relacionadas


Não foi fácil para a equipe driblar o problema de comunicação. A falha era tão significativa que era impossível ouvir o que piloto suíço dizia de dentro do carro. Então, a comunicação foi simplificada, ou seja, basicamente se limitava às informações relacionadas aos pneus. Integrantes da Inter Europol corriam até o pit-wall e faziam sinais, às pressas, para Scherer — a iniciativa, aliás, rendeu uma repreensão dos comissários.

Fabio Scherer teve de correr momentos finais das 24 Horas de Le Mans sem rádio e com suspeita de fratura no pé (Foto: Inter Europol)

“Com certeza, não ajudou [a falta de comunicação via rádio]. Mas, no final, eu apenas disse que ‘eu só preciso acelerar ao máximo’. Não havia mais nada a fazer. Nós discutimos isso na garagem, antes de eu entrar [no carro], e não estávamos certos se poderíamos trocar de piloto porque a porta não abria corretamente, mas em Le Mans, às vezes você precisa de um pouco de sorte”, comentou Scherer.

“No momento o pé está bom porque a adrenalina está muito alta, então não sinto nada. Mas amanhã [hoje] ou nos próximos dias, temo que não seja bom. Mas prefiro isso e vencer a corrida do que o contrário”, ainda pontuou o piloto suíço sobre a sua lesão no pé esquerdo.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Fabio Scherer manca antes de entrar no carro para as últimas horas de prova (Vídeo: Reprodução / 24 Horas de Le Mans)

De acordo com a equipe, a suspeita de fratura começou na noite de sábado (10), quando o jovem de 23 anos foi atropelado por um carro da classe GTE Am no pit-wall. Um comunicado na rede social oficial da equipe polonesa atualizou a situação do suíço e trouxe a seguinte frase, escrita pelo piloto: “Tive sorte do pé estar inteiro, poderia ter sido pior. Está bom para dirigir normalmente, mas sinto ele em zonas lentas. Não quero saber se está quebrado ou não. Agora só quero para pilotar e vencer esta coisa.”

Além de Scherer, o carro #34 ainda teve Jakub Smiechowski e Albert Costa. O piloto polonês exaltou o trabalho duro da Inter Europol nos últimos anos e afirmou que a vitória nas 24 Horas de Le Mans “é um sonho que se tornou realidade”. Já o espanhol destacou o fato de ser “o estreante mais velho do campeonato”, mas que mesmo com os 33 anos ele pode se orgulhar de ser “um estreante vencedor em Le Mans”.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias do GP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.