Endurance

'Invasor' no pódio geral de Le Mans com carro LMP2, Piquet elogia “estratégia perfeita” da Rebellion. E vai ao limite

Piloto foi mais bem colocado entre os oito brasileiros na classificação geral da prova. Mesmo com adversidades, equipe de Piquet conseguiu superar os desafios e chegar no top-3

Warm Up / Redação GP, de Jacareí

A edição 2017 das 24 Horas de Le Mans teve a emoção de sempre, mas dessa vez com elementos diferentes. As várias quebras dos protótipos da LMP1 fizeram com que sobrasse lugar no pódio para os carros da LMP2. Em segundo nessa categoria, o trio da Rebellion Racing formado por Nelsinho Piquet, Mathias Beche e David Heinemeier-Hansson concluiu a prova em terceiro na classificação geral para garantir um lugar no pódio.
 
Com o resultado, Piquet foi o mais bem colocado entre oito pilotos brasileiros na classificação geral da prova. Em quinto na largada, o trio da equipe suíça foi ganhando posições ao longo da prova e mesmo com problemas durante os pit-stops conseguiu um resultado até então improvável.
 
"Foi uma corrida extremamente difícil. O começo foi muito bom, com uma estratégia perfeita da equipe. No meio da prova, houve alguns probleminhas no carro. Os pit stops foram difíceis, o motor de arranque parou de funcionar, então em todas as paradas nós demorávamos uns 20s a mais", analisou Piquet, que guiou na prova por 8 horas e 47 minutos.
O pódio geral das 24h de Le Mans (Foto: José Mário Dias)

Entre os contratempos enfrentados um deles foi a necessidade do pit-stop mais longo durante a noite para o conserto de uma das luzes de sinalização na parte traseira do veículo, a pedido da direção de prova.
 
Outro, foi uma punição de 10s no pit seguinte, após um contato com o carro #49, quando o brasileiro tentava aplicar mais uma volta no rival durante a penúltima hora. Nessa ocasião, os comissários entenderam que Piquet foi o culpado do incidente. Ainda assim, a equipe ganhou uma posição na última hora, quando os freios do carro #35 tiveram problemas. 
 
"Tive de forçar muito no fim, o Mathias Beche passou mal, então tive de correr mais um pouco. No fim deu tudo certo", concluiu.
 
O vencedor da LMP2 foi a equipe do ator Jackie Chan, formada por Ho-Pin Tung, Oliver Jarvis e Thomas Laurent, que cruzaram a linha de chegada em segundo lugar na classificação geral e chegaram a liderar a tradicional prova. Esta é a segunda vez que Nelsinho consegue um troféu em Le Mans. Em 2016, já pela Rebellion Racing, o brasileiro venceu a categoria LMP1 para equipes privadas.
 
O CANADÁ É PARA HAMILTON O QUE MÔNACO FOI PARA SENNA?