Jarvis supera Montoya e crava pole para Daytona 24H. Nasr e Derani saem em 4º

O treino de classificação para as 24 Horas de Daytona terminou com uma batida de Ricky Taylor, no Penske #7 que também conta com Helio Castroneves. Oliver Jarvis liderava no momento e, como não houve mais treino, larga na pole. Apesar de Felipe Nasr e Pipo Derani largarem na quarta posição, treino foi ingrato para brasileiros

O treino de classificação para as 24 Horas de Daytona, realizado entre o final da tarde e o começo da noite desta quinta-feira (23) terminou alguns minutos antes do que devia. Uma bandeira vermelha causada por Ricky Taylor, que bateu de frente na barreira de pneus com o Acura #7 da Penske. Depois disso, o relógio correu até o fim sem atividades de pista. A pole-position ficou com Oliver Jarvis (que forma trio com Tristan Nunez e Olivier Pla) no Mazda #77. No geral, os brasileiros inscritos na prova já sabem que não terão vida fácil na corrida. 
 
Juan Pablo Montoya (Dane Cameron e Simon Pagenaud) conseguiu fechar na segunda colocação, 0s4 atrás do pole com o Penske #6. O terceiro posto ficou para Jonathan Bomarito (Harry Ticknell e Ryan Hunter Reay) no #55 da Mazda. 
O #77 de Jarvis (Foto: Twitter/Mazda)
Único brasileiro a classificar o carro no treino do sábado, Felipe Nasr (Pipo Derani, Mike Conway e Filipe Albuquerque) colocou o #31 da Whelen na quarta colocação, seguido por Ryan Briscoe (Renger van der Zende, Scott Dixon e Kamui Kobayashi) no Cadillac #10 em quinto e Tristan Vautier, no quarteto que ainda conta com Matheus Leist (além de Juan Piedrahita e Chris Miller) no #85 da JDC-Miller.
 
A despeito da batida, o Penske #7 ainda descolou um sétimo posto. É importante lembrar que o conjunto conta, além de Taylor, com Helio Castroneves e Alexander Rossi. João Barbosa (Sébastien Bourdais e Loïc Duval), no Mustang #5, fechou o grid de largada da classe DPI.
O #52 de Keating (Foto: Twitter/IMSA)
Classe LMP2
 
Ben Keating (Simon Trummer, Nick Boulle e Gabriel Aubry), que está guiando em duas classes neste fim de semana – e junto de Felipe Fraga na GTD -, anotou 1min37s446 e garantiu a ponta para o Oreca #52 da Mathiasen. 
 
Atrás da ameaça dupla que Keating nesta edição, o segundo posto ficou com o #81 de Henrik Hedman (Ben Hanley, Colin Braun e Harrison Newey) e da DragonSpeed. O terceiro posto é de John Farano (Ryan Dalziel, David Heinemeier Hansson e Nicolas Lapierre) no #8 da Tower by Starworks.
O #911 de Tandy (Foto: Twitter/Porsche)

Classe GTLM

 
Os carros GT mais velozes viram uma briga genuína pela pole-position. Embora dois conjuntos da Porsche tenha disputado a dianteira, os dois Corvette conseguiram terminar próximos e indicaram que o ritmo é suficiente para brigar. 
 
Nick Tandy (Matt Campbell e Fred Makowiecki) teve de esperar até o último momento para confirmar que sua #911 não seria ultrapassada pelo companheiro Laurens Vanthoor (Earl Bamber e Mathieu Jaminet) e a #912. O belga não melhorou a volta que crava logo antes e terminou realmente 0s049 mais lento. 
 
O terceiro lugar ficou com o Corvette #3 de Antonio García (Jordan Taylor e Nicky Catsburg). Embora não tenha conseguido colar na Porsche, ficou somente 0s3 atrás. O companheiro Tommy Milner (Oliver Gavin e Marcel Fässler) colou.
 
As duas BMW vieram atrás, enquanto a solitária Ferrari 488 #62, representada por Alessandro Pier Guidi, fechou com o pior tempo da classe, somente 1s4 atrás de Tandy. O #62, claro, conta ainda com Daniel Serra, além de James Calado e Davide Rigon.
O #9 de Robichon (Foto: Twitter/Porsche)
Classe GTD
 
A primeira classe a ir à pista no que era meio da tarde na Flórida, final no Brasil, terminou com uma interessante sequência de diferentes marcas. Nenhuma repetição nas primeiras sete colocações. Quem larga na frente é o quarteto representado por Zacharie Robichon (Dennis Olsen, Lars Kern e Patrick Pilet). 
 
O Porsche #9 da Pfaff cravou 1min45s237 para garantir a dianteira por quase 0s5. Atrás dele, em ordem, Ferrari, Acura, BMW, Lamborghini, Audi e Lexus. Daí para frente, sim, repetições. 
 
Jeff Westphal (Cooper MacNeil, Toni Vilander e Alessandro Balzan) pôs o #63 da Scuderia Corsa na segunda posição, enquanto Trent Hindman (Álvaro Parente, Misha Goikhberg e AJ Allmendinger) deixou o #57 da Heinricher em terceiro. 
 
O único brasileiro nesta classe, Felipe Fraga, não foi à pista na classificação e vai largar em posição bastante desfavorável: 22º, pior entre aqueles que participaram do treino com voltas rápidas. O responsável por marcar o tempo com o Mercedes #74 da Keating foi Gar Robinson, que, além de Fraga, ainda conta com Ben Keating e Lawson e Aschenbach.
 
O fim de semana em Daytona continua ainda nesta quinta-feira, com um treino livre noturno que começa às 21h15 (de Brasília). A sexta-feira conta com o último treino livre pela manhã. A largada para a edição 2020 das 24 Horas de Daytona está marcada para as 15h35 do sábado, dia 25.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar