López, Conway e Kobayashi lideram 1-2 da Toyota e vencem em Silverstone. Derani vai ao pódio

A etapa de abertura da supertemporada 2019/20 do Mundial de Endurance teve grandes disputas e batalha liberada pela vitória na LMP2 entre os dois Toyota TS050 Hybrid. Levou a melhor, por muito pouco, o #7 tripulado por José María López, Mike Conway e Kamui Kobayashi. Pipo Derani, na estreia pela Rebellion, foi ao pódio, em segundo lugar. Na LMP2, André Negrão, campeão mundial, fechou em segundo lugar neste domingo (1)

Deu a lógica na abertura da supertemporada 2019/20 do Mundial de Endurance. A Toyota venceu com folga a disputa das 4 Horas de Silverstone, disputada neste domingo (1), com direito a dobradinha em uma prova marcada pelo clima tipicamente britânico. Pole-position, o TS050 Hybrid #7, que foi tripulado por Mike Conway, Kamui Kobayashi e José María ‘Pechito’ López cruzou a linha de chegada do lendário circuito com 129 voltas completadas e apenas 1s901 de vantagem para o #8, pilotado por Sébastien Buemi, Kazuki Nakajima e Brendon Hartley, substituto de Fernando Alonso.
 
A corrida foi bastante movimentada do início ao fim, com uma disputa franca liberada pela Toyota entre seus dois carros, que andaram sempre muito próximos, em cenário que se cumpriu até o fim da prova com a concretização da dobradinha na LMP1. Trata-se da última supertemporada com o atual regulamento da classe mais rápida do WEC, já que a partir de setembro do ano que vem os LMP1 vão ser substituídos pelos hipercarros.
 
Era natural que a terceira posição ficasse com um dos protótipos da Rebellion. E assim foi com o #3 tripulado por Nathanaël Berton, Loïc Duval e o brasileiro Pipo Derani. Na sua estreia pela equipe suíça, Derani garantiu logo de cara um pódio na classe principal do Mundial de Endurance. Em contrapartida, o Rebellion #1 de conjunto formado por Bruno Senna, Gustavo Menezes e Norman Nato teve de lidar com problemas que impediram uma melhor colocação que o décimo lugar no geral.

A Toyota venceu com dobradinha as 4 Horas de Silverstone neste domingo (Foto: Toyota)

Grande novidade na LMP1, os Ginetta da equipe LNT tiveram uma estreia difícil na supertemporada. O #6 tripulado por Mike Simpson, Oliver Jarvis e Guy Smith teve muitos problemas e só completou 112 voltas. Já o #5, pilotado pelos britânicos Charlie Robertson, Ben Hanley e o russo Egor Orudzhev, teve melhor sorte e finalizou na quarta colocação, porém quatro voltas atrás do Rebellion #3.

 
A vitória na classe LMP2 ficou com a novata Cool Racing. Com um Oreca/Gibson pilotado por Nicolas Lapierre e Antonin Borga — Alexandre Colgny não disputou a prova por conta de uma lesão sofrida nas 4 Horas de Silverstone da European Le Mans Series, no sábado —, a equipe triunfou logo de cara no WEC, bem como Borga, que faz sua estreia na competição. 
 
Destaque também para a tripulação da equipe campeã do mundo na classe, a Signatech Alpine, que conta com André Negrão como remanescente da campanha vitoriosa em 2018/19. O campineiro, ao lado de Thomas Laurent e Pierre Ragues, alcançou a segunda colocação, enquanto o Racing Team Nederland, que saiu na pole da LMP2 em Silverstone, terminou em terceiro com Giedo van der Garde, Job van Uitert e Giedo van der Garde. 
 
O grande revés da categoria foi de um dos carros favoritos à vitória, o United Autosports #22 pilotado por Paul di Resta, Philip Hanson e Filipe Albuquerque. Um acidente na segunda volta da prova tirou o carro de combate.
 
Entre os GTs, na LMGTE-Pro, vitória do Porsche #91 pilotado por Gianmaria Bruni e Richard Lietz, que lideraram a dobradinha da marca de Stuttgart, com Michael Christensen e Kévin Estre finalizando em segundo lugar. Alex Lynn e Maxime Martin, da Aston Martin, completaram o pódio, todos na volta do vencedor da classe, que completou 115 giros. Pole da LMGTE-Pro, James Calado e Alessandro Pier Guidi, com uma Ferrari da AF Corse, sofreram uma punição por infrações durante o segundo período de bandeira amarela em todo o circuito, mas ainda assim conseguiram terminar na volta do líder. Quarto lugar para a dupla da equipe italiana.
 
Por fim, na classe LMGTE-AM, a vitória ficou com François Perrodo, Emmanuel Collart e Nicklas Nielsen, a bordo de uma Ferrari. O trio da Aston Martin formado por Paul Dalla Lana, Darren Turner e Ross Gunn garantiu o segundo lugar, enquanto Motoaki Ishikawa, Olivier Beretta e Kei Cozzolino, com uma Ferrari da equipe MR Racing, completou o pódio.
 
A tripulação da equipe alemã Project 1, que conta com Felipe Fraga, Ben Keating e Jeroen Bleekemolen viveu um fim de semana difícil a bordo do Porsche, terminando em décimo lugar na LMGTE-AM e em 27º no geral, com 112 voltas completadas.
 
A segunda etapa da supertemporada 2019/20 do Mundial de Endurance está marcada para 6 de outubro com a disputa das 6 Horas de Fuji, no Japão.

Paddockast #31
QUEM NA F1 PASSA DE ANO?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube