Endurance

Perto da aposentadoria, Christian Fittipaldi revela que “foco em aproveitar” esporte ajudou carreira

Christian Fittipaldi afirmou que mudar a forma como encarava as corridas foi importante para sua carreira. O piloto explicou que a partir de 2011, passou apenas a tentar aproveitar as corridas, se divertindo nas pistas
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Christian Fittipaldi afirmou que a sua mudança de postura na forma de encarar as corridas foi fundamental para sua carreira. Próximo de se aposentar das pistas, o brasileiro apontou que passou a apenas focar em se divertir e aproveitar.
 
O piloto teve um início de 2008 bastante difícil na American Le Mans Series. Após apenas quatro etapas, acabou deixando a equipe da Andretti. No ano seguinte, ficou afastado dos carros, e em 2010, disputou a Stock Car.
 
Mas tudo mudou em 2011, quando assinou com a Action Express para as 24 Horas de Daytona daquele ano. Depois, fechou contrato para a temporada completa em 2013 e conquistou os títulos de 2014 e 2014 da SportsCar. Ainda, venceu Daytona em 2014 e 2018.
 
Agora, a prova deste ano vai ter um gosto ainda mais especial, pois marca a aposentadoria do brasileiro das pistas. Fittipaldi afirmou à ‘Autosport’ que sua carreira renasceu por conta de sua mudança de postura a partir de 2011.
Christian Fittipaldi (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
“Antes de sair do Brasil [para a Daytona de 2011] eu disse ‘vou pilotar cada volta como se fosse a última da minha carreira, vou aproveitar o máximo que posso’. A grande diferença no Christian comparado com os anos anteriores é basicamente isso”, falou.
 
“Eu tive bons dias e houve alguns dias ruins quando ficava frustrado, não há dúvidas sobre isso. E caso eu não ficasse frustrado, provavelmente não deveria pilotar o carro. Mas o principal foco era aproveitar cada volta da corrida, treinos, classificação e testes, não importava o que”, continuou.
 
“Quando fiz Daytona em 2011 tinha 40 anos, então estava definitivamente muito mais próximo do final da minha carreira do que no início. Esse é o fato, então por que não aproveitar? Essa foi a principal motivação que tive durante o último stint e me ajudou muito”, seguiu.
 
“Muitas pessoas teriam me descartado, mas acho que quando você é positivo de que pode fazer o trabalho e recebe a oportunidade certa, as coisas acontecem”, encerrou.