Por restrições no Japão, JP Oliveira perde chance de correr 24h de Le Mans na LMP1

Piloto brasileiro recusou convite da equipe ByKolles para participar das 24 Horas de Le Mans pela primeira vez na carreira. Restrições de entrada no Japão forçaram a recusa

Efeitos da pandemia do coronavírus impediram a participação de João Paulo de Oliveira na edição 2020 das 24 Horas de Le Mans. O brasileiro recusou um convite da equipe alemã ByKolles, que vai correr na classe LMP1, a mais importante do endurance.

As restrições de entrada e saída no Japão, onde JP reside, seguem muito fortes. Estrangeiros que deixam o país não podem entrar novamente, o que prejudicaria o piloto, que também corre pelo Super GT. A capital Tóquio receberia os Jogos Olímpicos entre os dias 24 de julho e 9 de agosto, mas a pandemia forçou um inédito adiamento para 2021.

“Guiar Le Mans sempre esteve nos meus planos, e esse ano estava certo para acontecer, inclusive já testei o carro e me dei muito bem com ele”, disse Oliveira ao GRANDE PRÊMIO. Seria a primeira participação do brasileiro na tradicional prova.

Carro da ByKolles nas 24 Horas de Le Mans de 2019 (Foto: Reprodução/ByKolles)

Segundo a Universidade St. Johns, o Japão registra 31.087 casos, com 988 mortes. O país registrou recorde de novos casos no último dia 24, com 927 infecções confirmadas.

“Porém, devido às restrições impostas aos estrangeiros que vivem no Japão, não pude aceitar o convite. Se sair do Japão, não consigo retornar. Uma situação totalmente fora do meu controle, infelizmente”, completou o brasileiro de 39 anos.

Sem Oliveira, a ByKolles, que tem inscrição austríaca, alinhará em Le Mans com o francês Tom Dillmann, o canadense Bruno Spengler e o inglês Oliver Webb. A corrida está marcada para acontecer entre os dias 19 e 20 de setembro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube