Trios da Audi sofrem com azar e problemas de confiabilidade, e vitória das 6 Horas de Austin sobra para Porsche #1

A Porsche não tinha ritmo nem parecido ao da Audi. Mas o R18 ainda não se encontraram na confiabilidade - e em se livrar da boa e velha uruca. Com muitos problemas dos carros #7 e #8, Timo Bernhard, Mark Webber e Brendon Hartley levaram a terceira vitória seguida do #1

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
A vitória nas 6 Horas do Circuito das Américas tinha tudo, mas tudo mesmo para ser da Audi. O ritmo mais forte e a constância de voltas colocavam os carros #7 e #8 com bastante vantagem. Mas a confiabilidade da maior campeã do WEC não chegou ainda ao novo R18. Assim, o trio campeão mundial da Porsche aproveitou. Nova vitória para Timo Bernhard, Mark Webber e Brendon Hartley.

 
O trio #1 acabou vencendo por enormes 23s. É a terceira vitória seguida de Webber/Bernhard/Hartley na LMP1. "É uma mega vitória – uma conquista muito dura. As Audi eram mais rápidas, mas seguimos indo atrás deles e tivemos sorte da bandeira amarela", disse Bernhard. Mesmo assim, por conta do começo de temporada tenebroso, ainda ocupam apenas a quarta colocação do campeonato. São 78,5 pontos contra 130 dos ainda líder e companheiros de Porsche – e quarto colocados no Texas – Marc Lieb, Neel Jan e Romain Dumas.
 
O segundo lugar acabou ainda com Lucas Di Grassi, Oliver Jarvis e Loïc Duval, que lideravam a disputa até um apagão elétrico pouco depois da marca das três horas de prova. Duval era quem estava no volante e acabou perdendo cerca de 40s. Depois, ainda perdeu mais tempo por ter parado em bandeira verde, enquanto o Persche #1 tenha conseguido parar durante amarela e safety-car virtual.
Porsche #1 venceu em Austin (Foto: Reprodução)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Mesmo com os problemas, o ritmo de Di Grassi, que assumiu o controle para a hora e meia final, ainda era bem superior. As chances de vitória seriam consideráveis, não fosse por um pit-stop extra: motivado por uma porta solta no R18 e-tron quattro.

 
O outro Audi, de André Lotterer, Marcel Fässler e Benoît Tréluyer, também andou na liderança depois dos primeiros problemas do #7. Mas um pit-stop em bandeira verde acabou custando a posição. As chances seriam terminadas na sequência, quando Tréluyer foi tocado pelo Frod GT Ganassi de Olivier Pla na curva 18. Assim, o #7 acertou a barreira de pneus e precisou ir até a garagem fazer reparos sobretudo na asa traseira.
 
O terceiro lugar ficou com a Toyota de Stéphane Sarrazin, Mike Conway e Kamui Kobayashi. Entre os LMP1 de equipes privadas, o Rebellion de Dominik Kraihamer, Alexandre Imperatori e Matheó Tuscher se deram melhor, na sexta posição geral.
 
LMP2, GTE Pro e GTE Am
 
Os líderes do campeonato, Nicolas Lapierre, Stéphane Richelmi e Gustavo Menezes dominaram por completo com o ORECA-Nissan 05. Dominaram nível completar a corrida com uma volta de vantagem para o segundo colocado, o trio de Bruno Senna, Filipe Albuquerque e Ricardo González. O trio de Pipo Derani, Ryan Dalziel e Chris Cumming, por sua vez, ficou no quarto lugar.
 
Nas classes GTE, domínio da Aston Martin. Marco Sorensen e Nicki Thiim bateram a Ferrari de Gianmaria Bruni e James Calado na Pro por 11s. Já na Am, Pedro Lamy, Mathias Lauda e Paul Dalla Lana venceram por mais de 1min diante do KCMG de Wolf Henzler, Joel Camathias e Christian Ried – apesar de Lamy ter chegado a rodar.
 
Agora o Mundial de Endurance se muda para o Japão, onde corre as 6 Horas de Fuji, no Japão, em 16 de outubro.
PADDOCK GP #46 TRAZ BOB KELLER E DEBATE VITÓRIAS DE FRAGA E PEDROSA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube