10+: As maiores corridas de Alonso na F1

O fim de semana do GP da Rússia será muito especial para Fernando Alonso. O bicampeão do mundo chega a Sochi para disputar a 250ª corrida da sua laureada carreira, repleta de altos e baixos, mas com bons motivos para recordar. O GRANDE PRÊMIO traz alguns dos melhores momentos do ‘Príncipe das Astúrias’ na F1

Mesmo sem ser campeão do mundo há quase dez anos, Fernando Alonso ainda é cantado em verso e prosa por muitos envolvidos no mundo do esporte como o piloto mais completo dentre todos do grid atual do Mundial de F1. Pois o fim de semana do GP da Rússia, 15ª etapa da temporada 2015, a ser disputada no próximo domingo (11), será muito especial para o espanhol de 34 anos. Será a chance de disputar a emblemática 250ª corrida em sua vitoriosa carreira na categoria.
 
Alonso é um piloto que fez história desde que chegou à F1. Ainda um imberbe garoto de 19 anos, sete meses e quatro dias, Fernando estreou no GP da Austrália de 2001 como piloto da Minardi. À época, ele foi o terceiro mais jovem a fazer sua estreia no Mundial, atrás apenas de Ricardo Rodríguez e Mike Thackwell.
 
Fernando ficou bem longe de fazer feio em Melbourne, pelo contrário. Não chegou a pontuar, mas conseguiu concluir sua primeira corrida na F1. E ao longo daquele ano de 2001, Alonso chamou a atenção do grid e logo caiu nas graças de Flavio Briatore, que o contratou para ser test-driver da Renault em 2002, mas com o objetivo claro de prepara-lo para estrear na ascendente equipe francesa, oriunda da Benetton, no ano seguinte.
 
Começava ali um dos grandes casamentos da história recente da F1. Logo no seu primeiro ano pela Renault, mais especificamente na segunda corrida, Alonso já garantiu a pole-position do GP da Malásia e terminou no pódio em Sepang. A vitória não levaria muito tempo e chegaria em um dos circuitos mais técnicos do calendário: Hungaroring. Com uma pilotagem soberba, Alonso entrava para a seleta galeria dos vencedores de corridas na F1.
 
E assim foi o começo de uma trajetória que hoje compreende 32 vitórias, 22 poles, 21 voltas mais rápidas, 97 pódios e 1778 pontos em 249 provas disputadas. Em algumas estatísticas, consta que Alonso disputou 248 GPs, desconsiderando o famigerado GP dos Estados Unidos de 2005, já que a Renault, assim como outras equipes cujos pneus eram fornecidos pela Michelin, abriram mão de correr em Indianápolis por motivos de segurança, gerando o famoso GP dos seis carros.
 
Alguns grandes momentos protagonizados por Alonso são emblemáticos: como, por exemplo, a conquista do seu primeiro título mundial no GP do Brasil de 2005. Ou então, no apogeu da ‘Alonsomania’, quando triunfou diante dos seus fãs em Barcelona em 2006. Como também no seu primeiro ano como piloto da McLaren, a vitória na raça no GP da Europa de 2007 e, depois, a discussão histórica antes do pódio com Felipe Massa, seu futuro companheiro de equipe.
 
A questionável vitória no GP de Cingapura de 2008 não ofusca a trajetória vencedora de Fernando, que caiu nas graças de Maranello ao vencer sua primeira corrida pela Ferrari, em 2010. E foi pela Ferrari que Alonso conquistou aquela que ele mesmo considera sua grande vitória na carreira: o GP da Europa de 2012, nas ruas de Valência, novamente diante da sua torcida.
 
Hoje, Alonso tenta se reinventar. Depois de uma saída conturbada da Ferrari, o espanhol tenta se reencontrar novamente naquela equipe onde viveu seu maior conflito interno, a McLaren. Seu recomeço tem sido dos mais difíceis, sobretudo porque o motor Honda ainda carece de muito desenvolvimento e está muito atrás de Mercedes e Ferrari. Tanto que, 14 anos depois da sua estreia na F1, o asturiano parece estar vivendo novamente seus tempos de Minardi.
 
Mas o próprio piloto acredita que ainda poderá brigar por vitórias e por títulos. Otimismo exagerado? Só o tempo vai dizer.
 
O GRANDE PRÊMIO preparou uma lista com dez das maiores corridas de Fernando Alonso em sua carreira na F1.
1- A estreia na categoria 
 
A primeira corrida de Alonso na F1 foi o GP da Austrália de 2001. A equipe do espanhol era a Minardi, a pior do grid, mas já de cara Alonso mostrava que tinha potencial. Na classificação, Alonso virou 1min30s657, mais de 2s5 melhor que seu companheiro, o brasileiro Tarso Marques. Na corrida, tratou de fugir da encrenca, contou com certa sorte ao não esbarrar em um corriqueiro problema mecânico do time e fechou em um honroso 12º lugar, que viria a ser, inclusive, sua terceira melhor marca no complicadíssimo ano de estreia na principal categoria do automobilismo mundial.
O estreante Fernando Alonso e Giancarlo Minardi em 2001 (Foto: Sutton Images)
2- A primeira pole e o primeiro pódio
 
2003 era o ano de estreia de Alonso na Renault, uma parceria que renderia muitos frutos para ambas as partes. E o espanhol não demorou nada para começar a mostrar seu valor. Logo na segunda prova do campeonato, na Malásia, Alonso surpreendeu e cravou a pole, sendo, até então, o mais jovem a realizar tal façanha com 21 anos e 236 dias. Na corrida, Alonso contou com abandonos de Michael Schumacher e Juan Pablo Montoya, mas o cara mais lento fez diferença e o colocou mais de 1min atrás do vencedor da prova, o finlandês Kimi Räikkönen. Rubens Barrichello ficou em segundo, enquanto o asturiano vibrava muito com seu primeiro pódio na F1. 
Alonso festeja a primeira pole na F1 (Foto: LAT/Renault)
3- A primeira vitória na categoria
 
A vitória solitária de Alonso em seu ano de estreia pela Renault veio no GP da Hungria de 2003. Largando na pole, o espanhol teve uma atuação bastante segura e controlou, o tempo todo, boa vantagem sobre os rivais. Contando com a escolta de um surpreendente Mark Webber e sua Jaguar no início e com direito a uma volta de vantagem em cima de Schumacher e também do então companheiro de equipe Jarno Trulli, Alonso chegou 16s8 na frente de Räikkönen e quebrou outra marca naquele ano: era o mais jovem piloto a vencer. Sua marca seria quebrada também por Vettel em 2008.
Alonso comemora com Briatore o primeiro triunfo na F1 (Foto: LAT/Renault)
4- Batalha épica com Schumacher
 
O GP de San Marino de 2005 foi espetacular. Após largar em segundo, Alonso protagonizou uma batalha de gato e rato com Schumacher na estreita pista de Ímola. O alemão tinha melhor carro, mas a tocada do espanhol foi perfeita. Com volta rápida atrás de volta rápida e muita habilidade para segurar os ataques do rival, Alonso chegou impressionantes 0s215 na frente do piloto da Ferrari. Aquela foi, segundo o próprio asturiano, até então sua melhor prova na categoria. "Não tinha como ser melhor e ser mais difícil. Eu simplesmente não tive respiro a prova toda, isso nunca tinha acontecido comigo, foi a maior prova da minha carreira", disse o espanhol.
Alonso venceu o GP de San Marino em 2005 (Foto: LAT)
5- O primeiro título
 
Alonso seguia quebrando recordes de precocidade na F1. Aos 24 anos e 57 dias, o espanhol se sagrava, no GP do Brasil, o grande campeão da temporada 2005. Em Interlagos, o piloto foi totalmente cerebral: saindo da pole que conquistara com tranquilidade, Alonso foi superado por Juan Pablo Montoya durante relargada e por Räikkönen nos boxes, mas em momento algum resistiu ou se arriscou indevidamente. O espanhol parecia um veterano e penas marchou para um terceiro lugar, exatamente o que necessitava para acabar com o domínio de Schumacher na categoria.
Fernando Alonso bateu a todos na temporada 2005 da F1 (Foto: Reprodução/Twitter)
6- A explosão da 'Alonsomania'
 
Se Alonso já tinha praticamente tudo em sua carreira na F1, ainda lhe faltava uma vitória em casa, em frente ao apaixonado público espanhol. O triunfo veio em 2006, de forma incontestável. Pole com menos de 0s1 de vantagem para o companheiro de Renault Giancarlo Fisichella, Alonso não correu riscos e terminou a prova com mais de 18s de vantagem para Michael Schumache, que foi segundo. Dominante na Catalunha, Alonso quebrava mais um tabu e fazia explodir a onda da 'Alonsomania' no país.
Fernando Alonso venceu a primeira em casa em 2006 (Foto: LAT/Renault)
7- Vitória na marra e 'treta' com Massa
 
O GP da Europa de 2007 teve uma das grandes controvérsias de Alonso na F1. A grande verdade é que toda a passagem do espanhol pela McLaren foi controversa. Em Nürburgring, porém, o problema do asturiano foi com o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari. Na briga pela vitória, os dois acabaram se chocando já no fim da prova e a carenagem da McLaren ficou marcada. Ao sair do carro, Alonso reclamou do paulista fazendo um sinal de negativo. Mais tarde, na pesagem, o brasileiro tentou parabenizar o rival pela vitória, mas acabou levando mais uma reclamação de Alonso na cara, que disse que Massa teria batido de propósito. No fim, Alonso pediu desculpas pela atitude, mas a irritação de Massa no pódio estava escancarada.
Felipe Massa estava bem bravo após brigar feio com Alonso (Foto: GEPA)
8- Estreia com pé direito na Ferrari
 
O início da parceria entre Alonso e a Ferrari não poderia ter sido melhor. Largando em terceiro no GP do Bahrein de 2010, atrás inclusive do novo companheiro Massa, o asturiano desde os primeiros metros foi atrás do triunfo. Na largada, deixou Massa para trás. O ritmo, entretanto, era pior que o de Vettel, líder da prova. A Red Bull do alemão começou a ratear e, assim, Alonso não só ultrapassou o germânico como disparou na ponta. O começo de temporada foi bastante promissor, o final, traumático. Preso atrás de Vitaly Petrov em Abu Dhabi, Alonso foi sétimo e perdeu o caneco para Vettel.
Estreia com triunfo com a Ferrari no Bahrein (Foto: Bridgestone)
9- O novo maior triunfo da vida
 
Fernando Alonso deu um verdadeiro show no GP da Europa de 2012. Correndo em casa, em Valência, o espanhol largou em uma modestíssima 11ª colocação por culpa de um erro de estratégia da Ferrari e foi colecionando ultrapassagens até chegar à dianteira. No fim, subiu ao pódio com Räikkönen e Schumacher e deu uma declaração bastante emocionada para um público empolgadíssimo com sua atuação. "Eu simplesmente não sei como descrever o que estou sentindo. Já venci outras vezes em casa, mas hoje foi mais especial, foi a maior vitória da minha vida. A Espanha passa por um momento complicado [em virtude da crise econômica, à época], é bom que eu, Nadal e a Seleção de futebol possamos dar alguma alegria ao povo", disse.
O pódio em Valência teve três grandes figuras da F1 (Foto: Ferrari)
10- Última vitória antes de longo jejum
 
O jejum de vitórias de Alonso na F1 já dura mais de dois anos. A última vez que o espanhol ganhou foi, mais uma vez, em uma corrida de casa. Na Catalunha, em 2013, o espanhol saiu do quinta posição no grid para vencer até com certa tranquilidade, novamente com Räikkönen ficando em segundo. 
Fernando Alonso venceu pela última vez em 2013 (Foto: Ferrari)

VIU ESSA? ACIDENTE ESPETACULAR DE VANTHOOR NA ITÁLIA

determinarTipoPlayer(“15632271”, “2”, “0”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube