Ainda pensando em 2016, Honda promete usar fichas de desenvolvimento restantes para ser quarta força do grid

Várias equipes do grid da F1 já deixaram 2016 no passado mesmo estando no meio da temporada e pensam nos novos carros de 2017. Não a McLaren Honda. Pelo menos por enquanto, a fábrica japonesa, fornecedora de unidades de força para o tradicional time inglês, segue pensando em desenvolver e evoluir nesta temporada

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Tem muita equipe já pensando em 2017, visto que todo o dinheiro gasto para atualizações nos carros de 2016 vai morrer ao final do ano. As novas regras de 2017, mudando agressivamente os carros, causam esse evento. Mas a McLaren Honda ainda promete usar as fichas de desenvolvimento restantes para a temporada em dois momentos de atualização: um para este GP da Bélgica, outro ainda sem data definida.

 
Quem fez a afirmação foi o diretor-esportivo da Honda, Yusuke Hasegawa. Embora tenha dito que a fábrica japonesa quer estrear as primeiras atualizações em Spa-Francorchamps, talvez fiquem prontas apenas para o GP da Itália. O último pacote deve aparecer após o fim da temporada europeia. Ainda sobram dez dos 32 tokens permitidos para 2016.
 
"Sakura está sempre desenvolvendo. Assim que estiver pronto, iremos introduzir. Temos uma chance em Spa e uma depois disso, e o plano é usar todas as fichas de desenvolvimento", disse à revista inglesa 'Autosport'.

"É o maior trabalho para mim, decidir quando transpassar os recursos deste ano para o ano que vem. Até aqui, não desisti do ano, mas talvez esse mês. Vou precisar decidir. Depois de setembro a pesquisa vai parar. Temos o teste no dinamômetro em outubro e novembro, mas não teremos pesquisa para esse ano depois disso", garantiu.

Fernando Alonso conversa com Yusuke Hasegawa, chefe da Honda para a F1 (Foto: Getty Images)
Por enquanto, garante Hasegawa, a McLaren Honda ainda pensa neste ano. Mas 2017 deve ser o foco do radar rapidamente. O japonês espera ver, com as atualizações, a McLaren como quarta força do grid regularmente no final da temporada.
 
"Eu gostaria de ser o quarto time – Mercedes, Red Bull, Ferrari e McLaren Honda. É difícil medir o nível de performance, mas queremos repetir a situação da Hungria. Se conseguirmos atingit este nível, temos de estar satisfeitos e, talvez, com alguma sorte, teremos a chance de chegar a um pódio", encerrou. 
 
A F1 volta com o GP da Bélgica deste 28 de agosto, e o GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do fim de semana AO VIVO e EM TEMPO REAL.
 
PADDOCK GP #42 RECEBE LUCAS DI GRASSI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube