Alfa Romeo confirma Zhou na lista de candidatos para assumir vaga em 2022

Frédéric Vasseur, chefe da Alfa Romeo confirmou que Guanyu Zhou é uma possibilidade para 2022. A equipe busca um companheiro para Valtteri Bottas

Câmera 360 no carro de Hamilton mostra como Verstappen o acertou em acidente (Vídeo: F1)

Em busca de um companheiro de equipe para Valtteri Bottas em 2022, a Alfa Romeo segue atrás do parceiro ideal no mercado. Com diversos pilotos sendo especulados na escuderia de Hinwill, o nome de Guanyu Zhou ganha cada vez mais força, já que o chefe Frédéric Vasseur confirmou que o chinês está, sim, na lista de opções.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Vasseur aproveitou as constantes especulações para comentar a respeito do interesse no jovem chinês, vice-líder da Fórmula 2, atrás somente de Oscar Piastri. Sem entrar no mérito do aporte financeiro que Zhou traria consigo, especulado em mais de R$186 milhões (€ 30 milhões), o dirigente fez elogios e afirmou que ele precisa ser observado com mais cautela.

“Ele está fazendo um bom trabalho na F2. Com certeza está na nossa lista. Venceu algumas corridas no começo da temporada. Assim como outros três pilotos, têm sempre condições de anotar pole-positions. Mas vocês sabem que esta temporada da Fórmula 2 é um pouco diferente se comparada às do passado, já que aconteceram apenas quatro etapas até aqui em pistas difíceis. Primeiro eles foram ao Bahrein, depois para Mônaco, Baku e a quarta foi em Silverstone. Penso que Monza e Sochi são mais convencionais. Vamos ver a evolução destes jovens, o que acontece. Estaremos de olho”, analisou Vasseur.

GUANYU ZHOU; FÓRMULA 2; SILVERSTONE;
Zhou está, sim, no radar da Alfa Romeo para 2022 (Foto: Uni-Virtuosi)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Não levamos em conta apenas o fato dele ser chinês, ele é um postulante ao título da F2. Venceu algumas corridas e penso que todas as equipes de Fórmula 1 estão de olho nele. Como disse antes, tivemos as quatro primeiras etapas que foram diferentes entre si. Agora eles estão voltando às pistas mais tradicionais e os jovens da F2 têm mais experiência e então vamos ver em duas ou três corridas onde eles estão, onde qual é a evolução de cada piloto na F2. Vamos esperar pra ver quem será o companheiro de Valtteri [Bottas]”, disse o dirigente.

Na linha sucessória ao cockipit da Alfa Romeo aparece Théo Pourchaire, atual quinto colocado na tabela da Fórmula 2, que ainda não possuí a superlicença exigida para correr na Fórmula 1. Em análise do pupilo, que já é ligado à equipe, Vasseur elogiou o trabalho do francês e deixou aberta a possibilidade dele assumir o volante em um futuro próximo.

“A respeito de Théo [Pourchaire], ele está fazendo um bom trabalho. Teve duas boas performances. Foi bem em Mônaco e em Silverstone. Temos de dar tempo ao Théo para melhorar não apenas o ritmo, porque velocidade ele já tem, mas crescer em torno disso”, analisou Vasseur.

“Ele tinha 17 anos há dois meses. Espero que ele consiga a superlicença no próximo verão. Até lá vamos esperar. A F1 é muito complicada. Temos um número limitado de assentos. No próximo ano, é provável que todos os times sofram com problemas de confiabilidade, o que significa que podemos chegar no Bahrein com pouca rodagem. Temos que considerar isso, para os pilotos não será fácil. É um desafio, mas temos que dar a eles tempo, com certeza”, finalizou.

A vaga atualmente pertence a Antonio Giovinazzi. O italiano luta para seguir na Alfa Romeo por um quarto ano, mas tem situação altamente incerta. A briga se torna ainda mais importante por ser a última vaga ainda aberta no grid.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar