Alonso admite que não esperava “calendário cheio” e brinca: “Talvez volte para a F1 para descansar”

Fernando Alonso está com a agenda bastante apertada em 2019. Fora da F1, o piloto reconheceu que não esperava a grande quantidade de compromissos e cogitou um retorno para a categoria, mas apenas para poder descansar

Fernando Alonso tem encarado uma agenda bastante cheia fora da F1. O espanhol admitiu que não esperava ter tantos compromissos no início do ano e cogitou um retorno para a categoria, mas apenas para descansar.
 
No último final de semana, o bicampeão disputou as 24 Horas de Daytona. Ao lado de James Taylor, Kamui Kobayashi e Renger van der Zande, conquistou a vitória da prova de longa duração, que foi encerrada com bandeira vermelha por conta de uma caótica chuva.
 
Avaliando sua vida atualmente, o asturiano reconheceu que está mais ocupado agora do que há um ano, quando ainda defendia a McLaren. “Eu tenho mais o que fazer neste ano do que há 12 meses”, afirmou.
Fernando Alonso (Foto: Daytona International Speedway)

“Claro que vai ser estressante para quem está na Fórmula 1 assim que a temporada começar, mas em fevereiro já começo com os testes com a Toyota novamente. O programa da Indy também vai começar, então vou estar muito, muito ocupado até junho. Eu não esperava esse calendário tão cheio”, seguiu.
 

Agora, o piloto chegou a brincar e cogitar um retorno para a F1, mas não por conta da saudade. “As pessoas me perguntam como é a vida sem a F1 e minha resposta é ‘talvez eu volte para o paddock da F1 para descansar um pouco’”, encerrou.
 
Depois das 24 Horas de Daytona, o piloto ainda tem o restante da supertemporada do Mundial de Endurance, onde ele defende a Toyota. O piloto também vai participar de sua segunda edição das 500 Milhas de Indianápolis.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube