Alonso afirma que buscou recuperação “na honra” em Baku e crava: “Foi a melhor corrida da minha vida”

Fernando Alonso terminou a primeira volta do GP do Azerbaijão nos boxes com dois pneus furados, um bico quebrado e danos no assoalho - e terminou com o sétimo lugar. Uma corrida de recuperação impressionante que o próprio Alonso considera desde já a melhor da carreira dele

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Fernando Alonso foi outro dos pilotos que viveu momentos extremos no GP do Azerbaijão deste domingo (29). O bicampeão mundial começou a corrida sendo espremido por Sergey Sirotkin e precisando dar uma volta completa com uma série de danos no carro. Coisas que facilmente poderiam terminar em abandono. Alonso ficou na prova, se recuperou e terminou com a sétima colocação. 

 
O périplo de Baku fez Alonso cravar que fez a melhor corrida da carreira dele, mesmo sendo dono de tantas vitórias e bons títulos. 
 
"Estou feliz pelos pontos e é seguramente a melhor corrida que tive em momento tempo. Talvez até a melhor da minha vida, porque houve um momento em que eu não tinha duas rodas e nem asa dianteira ou assoalho. Mesmo assim, no final, estávamos lá. Consegui chegar ao pit-lane, saímos quando o safety-car estava na pista", lembrou em entrevista ao jornal espanhol 'As'. 
 
"O meu carro estava muito rápido, e eu comecei a ultrapassar, me recuperar e, no último safety-car, ganhei a posição de Stroll. A verdade é que é surpreendente o resultado com um carro que estava meio quebrado. Estou feliz. Quando fui tocado no começo me disseram que tínhamos danos significativos, o que sempre é mau sinal. Quando não falar isso é porque você só tem uma aleta quebrada, algo assim. Então temi pelo pior", disse.
Fernando Alonso (Foto: McLaren)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Com a loucura azeri, Alonso reiterou como crê que foi bem e que buscou o resultado na honra. 

 
"Muito louca – e terminei em sétimo de novo. Hoje foi na honra: ninguém teria levado o carro ao pit-lane [naquelas condições], teriam estacionado o carro na pista ou nos boxes. Não fizemos nada disso, roçamos os muros a corrida todo e já digo que certamente foi a melhor da minha vida", seguiu.
 
Algo que já vem se tornando tendência na temporada de Alonso se repetiu em Baku: muitas ultrapassagens para pontuar. Apesar do show, Fernando, que largou no 13º posto, garantiu que ficaria muito satisfeito em ter que ultrapassar menos.
 
"Queria que não precisássemos ganhar tantas posições e largássemos mais à frente. Fiquei no meio de sanduíche lá no começo e depois, no final, tive sorte com o safety-car. No fim das contas, são quatro corridas pontuando, encostamos na Red Bull, que não pontuou, ficamos bem perto de Vettel, que é o líder do Mundial e não aumentou a vantagem", encerrou.

O Mundial de F1 volta em duas semanas, no dia 13 de maio, com o GP da Espanha. Lewis Hamilton foi quem venceu a corrida no Circuito da Catalunha no ano passado. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube