Após 12º pódio na temporada, Räikkönen resume terceiro lugar no Brasil: “Foi bom, mas não foi fácil”

Kimi Räikkönen consolidou mais uma boa jornada em 2018 com a conquista do terceiro lugar do GP do Brasil. O pódio veio na base da luta depois de o finlandês sofrer com a forte pressão de Daniel Ricciardo nas voltas finais em Interlagos

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Kimi Räikkönen concluiu mais uma jornada consistente na temporada 2018 com o troféu de terceiro lugar do GP do Brasil, disputado neste domingo (11). O ‘Homem de Gelo’, que fez sua penúltima corrida pela Ferrari, superou o companheiro de equipe Sebastian Vettel em número de pódios e colecionou seu 12º troféu no campeonato.
 
O veterano de 39 anos largou em quarto, foi ultrapassado por Max Verstapppen, mas em seguida superou Vettel para andar à frente do companheiro de equipe em quase toda a corrida. Depois das paradas para troca de pneus, o alemão voltou à frente, mas Kimi tinha um ritmo muito melhor, a ponto de Maurizio Arrivabene fazer o sinal para Seb deixar o finlandês passar para tentar atacar Valtteri Bottas, da Mercedes.
Kimi Räikkönen bem ao seu estilo após subir ao pódio pela 12ª vez em 2018 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

A estratégia deu certo em partes porque a Mercedes chamou Valtteri para um pit-stop adicional. Assim, Räikkönen subiu para a terceira colocação em Interlagos. Mas o resultado não estava totalmente garantido, já que Daniel Ricciardo, com a Red Bull que foi o grande carro deste domingo, pressionou o ‘Homem de Gelo’ na luta pelo último degrau do pódio.

 
No fim das contas, Kimi cruzou a linha de chegada na frente, menos de 0s5 à frente de Ricciardo.
 
“Foi bom. Não foi fácil, mas ter alguma batalha foi bem divertido”, declarou o piloto em entrevista a Paul di Resta logo depois que saiu da sua Ferrari. 
 
“Obviamente, esperávamos pelo melhor, mas não foi fácil. Minha estratégia de pneu foi boa, mas foi difícil ultrapassar. Isso tomou muito tempo”, avaliou.
 
Com o resultado deste domingo em Interlagos, Kimi agora soma 251 pontos, 51 atrás de Vettel e 14 atrás de Bottas. Caso mantenha o terceiro lugar no Mundial de Pilotos no desfecho da temporada, em Abu Dhabi, Räikkönen vai conquistar sua melhor posição na F1 desde 2012.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube