Após 1ª vitória, Gasly se vê pronto para voltar à Red Bull e fala em “recompensa”

O triunfo surpreendente obtido no GP da Itália do último domingo faz Pierre Gasly reivindicar o cockpit que um dia já foi seu para voltar à Red Bull. Mas ainda que sonhe com o regresso à equipe tetracampeã, o francês de 24 anos antes quer “aproveitar este momento e terei tempo para pensar nisso mais tarde”

Ao vencer de forma incrível e surpreendente pela primeira vez na Fórmula 1 no GP da Itália do último domingo (6), e a bordo do carro de uma equipe de meio de grid, a AlphaTauri, Pierre Gasly voltou a se colocar no radar da Red Bull para um eventual retorno à escuderia tetracampeã do mundo.

O francês de 24 anos foi promovido ao time chefiado por Christian Horner no começo de 2019, fez as 12 primeiras corridas, mas sofreu muita pressão por resultados na comparação sempre dura com Max Verstappen. Pierre acabou sendo rebaixado e mandado de volta para a equipe B da Red Bull, que até o ano passado se chamava Toro Rosso, enquanto Alexander Albon foi promovido à escuderia matriz dos energéticos.

Desde então, Albon ficou perto de conquistar seu primeiro pódio na Fórmula 1 duas vezes: no GP do Brasil do ano passado e no GP da Áustria deste ano. Nas duas vezes, o anglo-tailandês acabou sendo envolvido em incidentes com Lewis Hamilton, sendo que no Red Bull Ring, pouco depois, o piloto enfrentou um problema no carro e teve de abandonar.

Gasly deixou claro que se vê pronto para voltar à Red Bull. Mas não quer pensar no assunto agora (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Em contrapartida, Gasly conseguiu um melhor aproveitamento, mesmo tendo muito menos chances de conquistar um troféu na F1. Seu primeiro pódio veio justamente em Interlagos no ano passado, onde o francês cruzou a linha de chegada em segundo depois de travar e vencer duelo incrível com Hamilton nos metros finais da corrida.

E a primeira vitória do piloto nascido em Rouen veio na esteira de uma dessas provas insanas que a Fórmula 1 proporciona vez em quando. Gasly largou na décima posição, chegou a aparecer em 15º, mas depois das paradas para trocas de pneus durante o período de um safety-car — em razão do carro parado de Kevin Magnussen na entrada da reta dos boxes —, o francês apareceu em terceiro.

Na relargada, Gasly passou Lance Stroll e assumiu a liderança depois que Lewis Hamilton entrou nos pits para pagar uma punição, stop-and-go de 10s, pelo fato de a Mercedes tê-lo chamado para trocar pneus quando o pit-lane ainda estava fechado. Pierre liderou todas as 26 voltas restantes, resistiu no fim à pressão imposta por Carlos Sainz e alcançou um impensável primeiro triunfo no Mundial. Albon, com o carro da Red Bull, terminou somente na 15ª posição.

Os resultados levantam a pergunta: Gasly vai voltar à Red Bull? Nas últimas semanas, Horner defendeu Albon das críticas e disse que o piloto nascido em Londres faz um bom trabalho.

Pierre lembra que, se for chamado para voltar a ocupar um lugar que um dia já foi seu, se diz preparado. “Acho que estou pronto. Mas, como eu disse, não cabe a mim fazer essa ligação”, afirmou.

“A única coisa que fiz desde que me mandaram de volta para a Toro Rosso foi só concentrar em mim mesmo e apenas mostrar o que posso fazer. Quando tenho as ferramentas certas nas minhas mãos, fico muito feliz com a performance que exibimos, e não falo só sobre o GP do Brasil, mas acho que, de modo geral, fomos muito fortes na maior parte do tempo”, salientou o 109º vencedor da história da Fórmula 1.

“Tivemos algumas classificações muito fortes, corridas muito fortes desde então”, complementou.

Em uma organização que já teve pilotos como Max Verstappen, Carlos Sainz, Daniel Ricciardo, Sébastien Buemi e Jean-Éric Vergne, os dois últimos hoje competindo na Fórmula E, Gasly lembrou que somente Sebastian Vettel, também em Monza em 2008, e ele venceram pela equipe que hoje atende por AlphaTauri.

“Vamos ver o que acontece, mas acho que a Toro Rosso teve muitos, muitos pilotos fortes. Estou muito feliz por ser um dos dois que conseguiram uma vitória para essa equipe. Obviamente, acho que os bons resultados devem ser recompensados com algo, mas vamos ver o que acontece”, continuou.

Mas o vencedor do domingo em Monza lembra que, pelo menos por enquanto, não quer se concentrar em um eventual retorno à Red Bull. “Não é algo que eu queira pensar muito. Só quero aproveitar este momento, porque é minha primeira vitória na Fórmula 1, e vou ter tempo para pensar nisso mais tarde”, concluiu Pierre Gasly.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube