Após enfim pontuar na temporada, Palmer deseja sair da Renault de cabeça erguida: “Sigo focado em fazer meu melhor”

Jolyon Palmer conquistou oito pontos com a sexta colocação no GP de Singapura, no último final de semana, dois dias após descobrir que deixará a Renault na próxima temporada. Agora, o britânico coloca o foco em fazer seu melhor até o final do ano, corrida a corrida

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Jolyon Palmer demorou 14 corridas, mas enfim pontuou na temporada 2017 da F1 no último final de semana. Agora, com a sexta colocação em Singapura, oito pontos e uma demissão vindas conjuntamente, o britânico assume que seu desejo é apenas sair da Renault de "cabeça erguida", já que será substituído por Carlos Sainz Jr.

“Eu sigo focado corrida a corrida. Com seis ainda por fazer, o que me espera no futuro segue lá esperando. Eu só quero fazer meu melhor a cada corrida e deixar a equipe com a cabeça erguida no final do ano. Espero repetir resultados como esse”, declarou nesta quarta-feira (20).

Joylon Palmer (Photo: Xavi Bonilla / Grande Premio)

Para ele, a capacidade em ir bem e pontuar sempre esteve presente, mas que a cada etapa uma situação nova o atrapalhou: “Em Spa, por exemplo, eu deveria ter conquistado uma boa pontuação, mas fui punido e depois fique preso no tráfego. Em Monza, comecei atrás no grid e não terminei a prova”, exemplificou.

“Desde o começo do ano eu queria ficar na frente, conquistar bons resultados. Só queria que esse resultado de Singapura tivesse acontecido antes”, continuou.

A esperança de Palmer é que o carro da Renault siga melhorando durante os seis GP's restantes na temporada, começando pela Malásia, no início de outubro. "Acreditar nisso me dá confiança. Eu pontuei na Malásia ano passado, então espero ir melhor ainda agora."

Jolyon Palmer perdeu o lugar para Sainz na Renault (Foto: Reprodução/F1)

Por fim, Palmer ainda mostra esperança em continuar na F1, mesmo com o grid quase completo e com poucas equipes demonstrando interesse. "Agora tenho resultado no papel para mostrar", disse.

Uma possibilidade é a Williams, que não deve manter Felipe Massa: "Tenho mais seis corridas para mostrar do que sou capaz e espero que enxerguem minha capacidade", finalizou.

Seus oito pontos em Singapura o colocam em 16° no Mundial. Nico Hülkenberg, companheiro de Renault, é o 10°, com 34 pontos.

ALONSO SEM HONDA EM 2018?

É CAPAZ DE A TORO ROSSO IR BEM E A RENAULT FALHAR NA MCLAREN 

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube