Arrivabene cita história para defender fatia maior da Ferrari no lucro da F1 e recusa ceder: “Você aceitaria redução de salário?”

Chefe da Ferrari, Maurizio Arrivabene avaliou que é justo que a escuderia de Maranello receba mais do que as demais por conta de seu historio na F1. Dirigente também não se mostrou disposto a rever distribuição dos recursos no Mundial

Chefe da Ferrari, Maurizio Arrivabene não tem dificuldades para reconhecer que a F1 atravessa um momento difícil, mas tampouco espera encontrar uma solução fácil para os problemas da categoria.
 
Nos últimos tempos, a divisão máxima do automobilismo mundial vem enfrentado dificuldades para atrair um novo público e a era dos V6 turbo resultou em uma onda de ataques ao Mundial.
Chefe da Ferrari, Arrivabene não quer mudança na divisão de receitas na F1 (Foto: AP)
Em entrevista à publicação francesa ‘Auto Hebdo’, Arrivabene foi questionado sobre a audiência do esporte e admitiu: “Obviamente, nós estamos passando por um momento difícil. Todos reconhecem isso”.
 
“Existem negociações em todos os níveis e todos concordam que uma solução deve ser encontrada rapidamente”, comentou. “A Ferrari está ativamente envolvida em tudo isso, porque podemos desempenhar um papel”, avaliou.
 
 “O mesmo é verdade para Sergio Marchionne, já que ele está envolvido em todas as reuniões do Grupo de Estratégia”, seguiu.
 
Com muitos dos times enfrentando dificuldades financeiras, a divisão do dinheiro na F1 se tornou alvo de polêmica, mas Arrivabene não parece lá muito aberto em mudar a distribuição de renda no esporte.
 
“Você concordaria em ter uma redução de salário em favor de um colega?”, questionou. “Existem contratos e todos assinaram os seus”, defendeu.
 
Lembrado, então, que a Ferrari recebeu mais do que a campeã Mercedes no ano passado, Arrivabene retrucou: “Não sei quando dinheiro a Mercedes recebeu da FOM (Formula One Management) e eu não tenho ideia das condições dos contratos deles”.
 
“Só sei os detalhes do nosso. E se a Ferrari recebe mais dinheiro, é por causa de sua história e por conta da imagem que dá da F1. Acho que isso é lógico”, opinou.
 
A Ferrari estreou na F1 no GP de Mônaco de 1950 e, desde então, disputou um total de 897 GPs, conquistando 16 vezes o Mundial de Construtores, 15 vezes a disputa entre os pilotos e um total de 222 vitórias.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube