Berger prevê temporada difícil para Ferrari em 2017: “Ainda está muito longe da Mercedes e Red Bull”

Gerhard Berger não acredita que a Ferrari terá uma temporada de muito brilho em 2017. Para o ex-piloto da equipe, o time está estagnado em uma má fase, e ainda apresenta desempenho bastante inferior ao das adversárias Mercedes e Red Bull

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Gerhard Berger não mostrou muita confiança com a temporada 2017 da Ferrari. Para o ex-piloto da equipe italiana, ela ainda está muito longe da Mercedes e Red Bull, e deve ter mais um ano complicado.
 

Em 2015 o time teve um campeonato extremamente positivo. Com três vitórias, somou 428 pontos e terminou o Mundial de Construtores em segundo. No entanto, em 2016 a história foi diferente, fechando o ano na terceira colocação, atrás da Mercedes e Red Bull.
 
Mesmo com as mudanças do novo regulamento para a temporada 2017, o austríaco não acredita que muitas coisas mudarão na equipe. “Meu coração está com a Ferrari e me magoa muito criticá-la. A realidade é que é uma espiral descendente”, afirmou.
Será que a Ferrari não terá temporada tão positiva em 2017? (Foto: Reprodução/Pirelli)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“A situação é que em 2015 a Ferrari teve alguma sorte e conquistou certo sucesso, e assumiram que isso foi uma conquista. Mas agora a realidade é que estão muito longe da Mercedes e Red Bull. De alguma maneira a Ferrari voltou para quando eu pilotava lá. A Ferrari é muito sensível a qualquer crítica”, completou.
 

E as críticas não pararam por aí. Berger ainda falou da decisão de Sebastian Vettel trocar a Red Bull pela Ferrari em 2015. Para o ex-piloto, a atitude do tetracampeão foi um tanto quanto precipitada, e deveria ter sido tomada mais para frente.
 
“Vettel subestimou o que Schumacher fez. Michael foi para a Ferrari, mas trouxe junto todos da Benetton. Quando chegou na equipe, ela estava no mesmo ponto que hoje. Sebastian devia ter feito a mudança apenas se pudesse levar junto todo o pessoal chave da Red Bull com ele. Não vejo muita mudança na Ferrari em 2017, e então Vettel terá que tomar a decisão”, encerrou.
PADDOCK GP #63 DEBATE CRISE NA F-TRUCK

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube