Bottas lidera manhã de 1º dia de testes da F1. Em 2º, Pérez surpreende

Mercedes na frente, Racing Point surpreendente, Red Bull com a maior quilometragem e Ferrari discreta. Começou, finalmente, a pré-temporada da F1 com uma manhã bastante movimentada, mas sem grandes problemas em Barcelona. Valtteri Bottas foi 0s062 mais rápido que Sergio Pérez

Acabou a espera! Depois de pouco mais de dois meses e meio, os carros da F1 voltaram a acelerar na abertura dos testes de pré-temporada na manhã desta quarta-feira (19), em Barcelona. O primeiro período dos trabalhos de pista foi bastante movimentado, mas sem nenhuma bandeira vermelha ou mesmo grande problema reportado por equipes e pilotos. Ao fim de quatro horas de atividades, Valtteri Bottas colocou a Mercedes na frente ao registrar 1min17s313 com pneus C3. O desempenho do novo W11 foi muito melhor que a volta mais rápida do primeiro dia de testes da F1 no ano passado, feita por Sebastian Vettel, da Ferrari: 1min18s161.

Pode ser considerado uma grande surpresa o desempenho da Racing Point. Com o RP20 muito parecido com o carro usado pela Mercedes em 2019, Sergio Pérez chegou a liderar a sessão e concluiu o período antes do almoço em segundo, somente 0s062 mais lento que Bottas. O mexicano também contou com os pneus C3 para aferir sua volta mais rápida pela manhã.

Max Verstappen colocou o novo Red Bull RB16 em terceiro. O holandês, que marcou 1min17s787 com pneus C2, foi quem registrou o maior número de voltas no primeiro período: 91, o que totaliza 423,6 km percorridos no traçado catalão. Carlos Sainz, da McLaren, foi o quarto colocado, seguido por Esteban Ocon, novo piloto da Renault. George Russell viveu uma boa jornada com a Williams, foi o primeiro a deixar os boxes e completou o período em sexto. Só então terminou Charles Leclerc, em sétimo com a Ferrari. Robert Kubica, reserva da Alfa Romeo, Kevin Magnussen, da Haas, e Daniil Kvyat, com a AlphaTauri, fecharam o top-10.

Valtteri Bottas foi o mais rápido desta manhã em Barcelona (Foto: Mercedes)

Saiba como foi a manhã do primeiro dia de pré-temporada da F1

O trabalhos começaram precisamente às 9h locais, 5h de Brasília. Foi aí que quatro equipes alinharam na saída dos boxes para ir à pista de imediato. A primeira delas foi, de forma curiosa, a Williams: a mesma equipe em 2019 que perdeu três dias de atividades por atrasos no desenvolvimento do carro conseguiu um ano depois um feito simbólico.
 
Como de costume, o momento era de voltas de instalação. Só que ninguém avisou isso para Mercedes e Valtteri Bottas, que encaixaram uma sequência de nove voltas. Eram pouco representativas, dado o frio matinal de Barcelona, mas indicava que o W11 nasceu sem problemas.
 
As outras equipes vieram e, em questão de 30 minutos, quase todo mundo já tinha deixado os boxes ao menos uma vez. Mesmo as equipes ainda sem tempos cronometrados ao menos conseguiam as tais voltas de instalação.
Esteban Ocon levou à pista o Renault R.S.20 todo vestido de preto para 2020 (Foto: Renault)
Os minutos foram passando, e a tabela de tempos começou a ganhar forma. Uma forma inesperada, diga-se: Carlos Sainz Jr., fazendo bom uso dos pneus C2, anotou 1min18s221. Charles Leclerc e Max Verstappen vinham pouco atrás, usando o mesmo composto. Só que o holandês não se importava muito em ficar em segundo, terceiro ou quarto.

O que empolgava mesmo era a quilometragem: em 60 minutos, Max completou 21 voltas, mais do que qualquer outro em Barcelona. Nem mesmo a Mercedes, que começou trabalhando pesado com Bottas, conseguiu acompanhar a quilometragem da Red Bull.
 
Mais atrás, algumas equipes engatinhavam. Alfa Romeo, AlphaTauri e Williams demoraram até pegar no tranco. As duas primeiras só foram conseguir voltas, respectivamente com Robert Kubica e Daniil Kvyat, após mais de 30 minutos. A equipe britânica, com George Russell, apenas empilhava voltas de instalação. A escuderia tinha postura curiosa: o carro aparecia equipado para testes aerodinâmicos, mas sempre passava pelo pit-lane na hora de completar giros.
Charles Leclerc substituiu Sebastian Vettel nos trabalhos de pista com a Ferrari nesta quarta-feira (Foto: Reprodução)

O primeiro piloto a romper a barreira de 1min18s foi Valtteri Bottas, em um forte stint com os pneus C2. O finlandês chegou a ser superado por Verstappen, também com o segundo pneu mais duro disponibilizado pela Pirelli.

Até que Pérez, com o Racing Point RP20 que se parece muito com a Mercedes do ano passado, tomou a dianteira. O mexicano registrou 1min17s375, mas com os pneus C3. A título de comparação, o melhor tempo do dia que abriu a pré-temporada em 2019 foi de Sebastian Vettel com 1min18s161. No mesmo dia, Pérez marcou 1min19s944. Ou seja, a volta desta quarta-feira foi 2s569 mais rápida na comparação com um ano atrás.

Chamava a atenção também as boas quilometragens registradas pelos carros novos na primeira sessão da semana. Verstappen, Bottas e Sainz eram os pilotos com mais voltas completadas após quase três horas de sessão.

Sergio Pérez pilota o novo Racing Point RP20 com bico semelhante ao da Mercedes (Foto: Racing Point)

Pouco depois, a Mercedes calçou o novo carro com os pneus C3, no meio termo entre o duro e o macio. Bottas não teve trabalho para deixar o tempo de Pérez para trás e registrar 1min17s313, 0s062 mais rápido que o mexicano, recolocando o carro prateado na frente.

Por outro lado, os tempos de volta da Ferrari ficavam longe de chamar a atenção. Com 50 minutos para a bandeira quadriculada matinal, Leclerc tinha 1min18s308, feito com os C3, mas 0s995 mais lento que Bottas. Depois de um tempo nos boxes, o monegasco voltou para a pista e melhorou um pouco sua marca: 1min18s289. Situação que perdurou até a bandeira quadriculada que encerrou os trabalhos antes do almoço.

Fórmula 1 2020, testes coletivos, Barcelona, dia 1, manhã:

1 V BOTTAS Mercedes  1:17.313    
2 S PÉREZ Racing Point Mercedes  1:17.375 + 0.062  
3 M VERSTAPPEN Red Bull Honda  1:17.787 + 0.474  
4 C SAINZ JR McLaren Renault  1:18.001 + 0.688  
5 E OCON Renault  1:18.004 + 0.691  
6 G RUSSELL Williams Mercedes  1:18.168 + 0.976  
7 C LECLERC Ferrari  1:18.289 + 1.147  
8 R KUBICA Alfa Romeo Ferrari  1:18.386 + 1.153  
9 K MAGNUSSEN Haas Ferrari  1:18.466 + 1.160  
10 D KVYAT AlphaTauri Honda  1:18.484 + 1.546  
11 D RICCIARDO Renault   sem tempo
12 N LATIFI Williams Mercedes   sem tempo
13 L STROLL Racing Point Mercedes   sem tempo
14 L HAMILTON Mercedes   sem tempo
15 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari   sem tempo

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube