Brawn recorda Schumacher como personagem “adorável e incompreendido” na F1

Michael Schumacher foi extremamente vencedor, mas nunca se livrou da imagem de pessoa por vezes má intencionada. Ross Brawn, que conheceu o alemão como poucos nos dias de Ferrari, dá seu relato: as pessoas que conheceram Schumacher pessoalmente viram alguém “adorável”

Ross Brawn conheceu Michael Schumacher como poucos. Diretor-esportivo da Ferrari no começo dos anos 2000, o britânico foi peça fundamental para o domínio do alemão na Fórmula 1. O sucesso veio acompanhado da imagem de um personagem carrancudo ou até mesmo maligno, que Brawn vê como distorcida: Schumacher era simplesmente “incompreendido” por aqueles que não o conheciam.

“Ele era um personagem bem incompreendido”, disse Brawn, entrevistado para documentário da TV britânica Sky Sports. “Não sei se na cabeça dele ele gostava dessa impressão que criava, mas ele era intimidador de muitas formas diferentes. Só que quem o conhecia pessoalmente via o contrário. Muitas vezes eu o apresentei a pessoas que o viam como alguém detestável, horrível, mas que mudaram de opinião depois que o conheceram”, seguiu.

Michael Schumacher não fez muitos amigos na Fórmula 1 (Foto: Ferrari)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

O incompreendido Schumacher, mesmo com tanto sucesso nas pistas, acabou com fama de piloto desleal. Episódios como os acidentes propositais nas decisões dos títulos de 1994 e 1997 apresentaram uma faceta diferente. Esta, entretanto, não causava problemas para quem estava ao seu redor.

“Isso acontecia porque muitas vezes havia o Michael piloto, na pista, e o Michael ser-humano, fora da pista. Muita gente que correu contra ele desenvolveu uma opinião diferente, mas as pessoas que trabalharam com o Michael nunca falaram uma palavra ruim, uma opinião negativa sobre a integridade, o comprometimento e o lado humano. Ele jogava em equipe e é uma tragédia o que aconteceu, porque ele é uma pessoa adorável”, destacou.

A competitividade extrema de Schumacher foi também um dos motivos por trás da tentativa de manipular o treino classificatório do GP de Mônaco de 2006. Brawn e Felipe Massa confirmaram recentemente que Michael parou na pista de propósito, tentando prejudicar o rival Fernando Alonso.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube