Button admite que “gostou mais do que pensava” da nova F1, mas não se arrepende de ano sabático: “Era a hora certa”

Jenson Button não precisou de muitas curvas para começar a gostar dos novos carros da F1. O inglês admitiu que a mudança de regulamento melhorou muito o comportamento dos bólidos, mas reconheceu que ainda falta confiança para tirar tudo do MCL32 da McLaren

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : ‘pt’
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : ‘inread’
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Jenson Button precisou de apenas cinco curvas em Mônaco para começar a aproveitar a experiência de pilotar os novos carros da F1. E o inglês gostou do que viu e não escondeu a alegria, admitindo que ria dentro do carro durante as primeiras sessões de treinos livres nas ruas de Monte Carlo, nesta quinta-feira (25)

 
O campeão de 2009 retornou à F1 para o GP no Principado para substituir Fernando Alonso, que decidiu correr as 500 Milhas de Indianápolis, e reconheceu que, apesar de todos os problemas que a McLaren ainda enfrenta, saiu das primeiras atividades do fim de semana com uma sensação de que a maior das categorias deu um passo à frente com a mudança de regulamento. 
 
"Eu comecei a rir quando entrei na Mirabeau", contou o britânico, que terminou o dia de atividades com uma decente 12ª colocação. "É uma experiência maravilhosa para mim guiar esses carros. Se perdi alguma coisa? Não, acho que não, mas, quando você entra no carro, quer definitivamente aproveitar os momentos que tem", completou Jenson, sem, no entanto, mostrar arrependimento pela decisão de se afastar das pistas.
Button voltou à F1 para uma única corrida (Foto: Xavi Bonilla / Grande Premio)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

"Com certeza, me afastei no momento certo e não perdi o jeito de um carro de F1. Mas realmente gostei, mais do que vinha gostando nos últimos anos, para ser justo", emendou o piloto de 37 anos.

 
Devido às novas regras, os carros de 2017 da F1 são muito mais largos e contam com pneus maiores, o que os deixou também mais rápidos e com uma área de aderência maior. "Agora, você pode frear muito mais tarde", falou Button. 
 
"O problema para mim é que eu não tenho confiança ainda. Eu chego nas curvas e ainda penso como nos últimos sete anos, é a minha maior dificuldade. É louco demais pilotar esses carros nesta pista. A ‘Tabac’ ficou incrivelmente rápida e você chega na ‘Piscina’ muito veloz. Realmente estou gostando disso, provavelmente mais do que eu pensava que iria", reconheceu.
 
GENIAL, ALONSO FOI ESPETACULAR NA CLASSIFICAÇÃO EM INDIANÁPOLIS E ENTRA NO PÁREO PELA VITÓRIA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = ‘ca-pub-6830925722933424’;
google_ad_slot = ‘8352893793’;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(‘crt_ftr’).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(‘cto_ifr’);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(‘px’)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write('’);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube