Button põe em xeque autoconfiança de Hamilton e vê pouca concorrência como base de sucesso na Mercedes

Afundado no fim do grid, Jenson Button analisou o que acontece na briga pelas primeiras posições. Segundo o campeão de 2009, Lewis Hamilton — seu ex-companheiro de equipe — tem a vida facilitada por não contar com um adversário de seu nível: “Se dão a mim ou a Sebastian Vettel o mesmo carro que ele, creio que Lewis não teria tanta confiança”

Jenson Button sabe bem o que é necessário para superar Lewis Hamilton. O campeão de 2009 foi o único a bater o atual piloto da Mercedes sob o mesmo teto, em 2011. Conhecendo bem o mais novo tricampeão, o piloto da McLaren bateu o martelo: um companheiro de equipe mais forte seria capaz de desestabilizar as coisas na Mercedes.
 
Button faz questão de destacar o talento de Hamilton, mas pensa que a situação atual do #44 é muito cômoda, tendo o carro mais rápido em mãos e sem alguém capaz de desafiá-lo dentro da Mercedes.
Jenson Button colocou a autoconfiança de Lewis Hamilton em xeque (Foto: AP)
“Lewis tem, sem dúvidas, muito talento. Mas se dão a mim ou a Sebastian Vettel o mesmo carro que ele, creio que Lewis não teria tanta confiança como hoje. Ele está em uma situação muito cômoda”, analisou Button.
 
“Existem muitos pilotos capacitados na F1, mas creio que neste momento ele tem um carro tão rápido, muito equilibrado e sem tanta concorrência dentro da equipe”, continuou.
 
A análise de Button vem justamente em uma temporada de dúvidas sobre Nico Rosberg, companheiro de Hamilton. O alemão, constantemente batido pelo #44, simplesmente não foi capaz de brigar pelo título em 2015, apesar de ter o melhor carro do grid em mãos.
 
Button, todavia, tem problemas bem mais sérios para analisar. A McLaren, afundada em mediocridade, promete melhoras de rendimento para 2016, urgentes para uma equipe que sente saudades de ser campeão. Jenson acredita nas melhoras, mas de forma gradual.
Jenson Button superou Lewis Hamilton em 2011 (Foto: McLaren)
“Vamos ganhar corridas? Penso que não. Mas vamos lutar por pódios. Estou especialmente animado para 2017, quando penso que a McLaren poderá lutar pelo título. Existem grandes mudanças previstas no regulamento e a Honda será muito mais experiente para tal”, argumentou.
 
“A unidade de potência que teremos no próximo ano será bastante diferente da que temos agora. Não vamos ter problemas híbridos, que todos sabem que são nosso maior problema”, finalizou.
 
Jenson Button terminou o GP do México deste domingo (1) em uma melancólica 14ª colocação, à frente apenas dos dois pilotos da Manor.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube