Sainz admite desconforto com pneus médios no Catar, mas diz: “Pode nos ajudar amanhã”

Carlos Sainz sofreu para chegar ao Q3 de pneus médios e admitiu que não se sentiu muito bem com os compostos na classificação do Catar, mas sabe, porém, que isso pode ser uma bela vantagem para o stint inicial da corrida, contra tanta gente de pneus macios

Carlos Sainz vai largar na sétima colocação no GP do Catar. Neste sábado (20), o espanhol conseguiu a vaga no Q3 de pneus médios e, assim, teoricamente, sai em vantagem no confronto direto com todo mundo do quarto ao décimo lugar, em um pelotão que sai todo de pneus macios. Para Sainz, pode ser um fator importante para ganhar terreno no primeiro stint da corrida em uma pista que não deve ter muitas ultrapassagens.

O espanhol da Ferrari saiu satisfeito com a posição atingida no grid, ainda que a última tentativa de volta rápida no Q3 não tenha sido das melhores.

“Acho que fizemos uma boa classificação, fizemos boas voltas quando era importante fazer. O Q3 não foi perfeito, mas no começo da sessão eu fiz uma boa volta. Então tentei forçar ainda mais para ir ao limite na última tentativa, mas não consegui melhorar meu tempo”, explicou Sainz.

Carlos Sainz vai largar em sétimo no Catar (Foto: Ferrari)

Sainz falou também de como teve dificuldades para fazer a volta rápida de pneus médios. No entanto, o piloto do #55 crê que largar com os compostos possa ajudar bastante na briga com o pelotão que vem a partir de Pierre Gasly, em quarto, em que todos estarão de macios no stint inicial.

“Em nenhum momento fiquei totalmente confortável com os pneus médios, a vaga para o Q3 foi no limite, correndo riscos, mas conseguimos. Amanhã poderemos largar com esses compostos, o que vai nos permitir adotar uma estratégia diferente dos outros. Vamos ver se será uma vantagem ou não. Com certeza não será uma vantagem no começo, mas a partir da quinta ou décima volta, pode passar a ser. Vamos ver como as coisas vão acontecer”, disse.

O espanhol também reconheceu que, em relação ao que foi visto nas últimas etapas, a Ferrari regrediu, sendo menos superior ao grupo formado por McLaren, AlphaTauri e Alpine.

“Não tem sido um final de semana fácil até aqui. Não sabemos o motivo de Alpine, AlphaTauri e McLaren estarem perto de nós, enquanto em outras etapas tínhamos uma margem para eles. Neste final de semana estão mais rápidos, mas permanecemos calmos e fizemos nosso trabalho”, encerrou.

O GP do Catar de Fórmula 1 tem largada prevista para 11h (de Brasília, GMT-3) deste domingo, sempre com transmissão ao vivo pela Band na TV aberta e pelo serviço de streaming F1 TV Pro. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

WEB STORIES
+Como ficou o grid de largada do GP do Catar de Fórmula 1

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar