‘Charm D’Azur’: Multidão e trânsito confuso tomam conta de Mônaco um dia antes da F1 entrar na pista

Com a pista ainda aberta para a circulação dos carros, o encantador Principado de Mônaco já vive o clima da F1. Edição de 2014 da prova deve apresentar novo desafio aos pilotos por se tratar da primeira vez que os motores V6 turbo serão utilizados no lento e travado circuito

NÃO É A COISA MAIS FÁCIL DO MUNDO entender o trânsito de Mônaco nos dias que antecedem ao GP mais famoso do Mundial de F1. Quem chega de trem, por exemplo, logo de cara se depara com uma curva Saint Dévote repleta de carros que não sabem direito para onde ir. Dá para dizer que, se houver um acidente na largada da corrida do próximo domingo, a situação por ali estará mais organizada.

E é assim que se encontra todo o Principado nesta semana. Ruas sendo fechadas, guard-rails e barreiras de pneus sendo instalados, mas é preciso circular por essa pequena porção de terra localizada no sul da França. Enquanto os últimos preparativos vão sendo feitos pela organização da prova, a F1 também se ajeita para encarar a sexta etapa da temporada 2014.

O paddock já está montado. Aqui, ele não fica atrás dos boxes, e sim além da curva Rascasse, a penúltima do pequeno circuito de 3.340 metros, o menor do calendário. A poucos metros do porto, onde centenas de barcos já estão estacionados. O público ainda pode caminhar pelo entorno e ver de perto os astros da categoria, mais do que em outros locais.

Chegando à pista pela primeira vez no ano, as equipes já puderam notar uma mudança: o recapeamento que foi feito entre a Praça do Cassino e a curva Portier, que antecede o túnel. Ali, de acordo com Jenson Button, o piso deve estar tão escorregadio e sem aderência como ocorreu na estreia do Circuito das Américas na edição de 2012 do GP dos EUA.

Mas essa não é a principal diferença que será encarada neste ano. Como em todos os outros circuitos, vai ser preciso reaprender os principais pontos pelas características dos novos motores V6 turbo. Com muito mais torque que os V8 aspirados e a pressão aerodinâmica inferior em relação aos carros de 2013, os bólidos estão mais instáveis, e isso deve se acentuar ainda mais nas curvas de baixa de Monte Carlo.

Perguntado pelo GRANDE PRÊMIO, o líder do campeonato, Lewis Hamilton, disse que isso tornará "desafiador" o GP deste ano. "Os carros são mais pesados, os pontos de frenagem serão um pouco diferentes, e o torque. Não sei como vai ser, mas eu já espero que seja bem difícil", afirmou.

Sebastian Vettel preferiu seguir por outro caminho. "Não acho que faça grande diferença. Vamos andar mais devagar que nos outros anos. Não há muita diferença dos últimos anos. Claro que os carros são muito diferentes e a unidade de força se comporta de forma diferente, o que pode ser a grande mudança nessas curvas pequenas e lentas, mas vamos ver nos treinos livres amanhã", declarou o tetracampeão.

Lewis Hamilton distribui autógrafos na quarta cheia em Mônaco (Foto: Mercedes)

Todavia, o circuito monegasco é o que mais exige mentalmente dos pilotos, como confirmou Daniel Ricciardo, da Red Bull. "Se você quiser usar a palavra 'mentalmente', sim, é o circuito mentalmente mais difícil do calendário. Você quer achar o limite, mas isso pode fazer você terminar no muro e fora da corrida ou da sessão. Eu acho que até você bater, não sabe o quão perto disso. Tem que ir chegando cada vez mais perto até chegar onde acha que o seu tempo de volta deve estar. Forçamos porque é o que a competição faz com a gente. Pode te surpreender, nem sempre da melhor forma, mas é divertido", comentou.

Mais uma vez, a expectativa é que a Red Bull consiga se aproximar da Mercedes, afinal, trata-se de um lugar onde a potência dos motores não será o mais importante. Ainda assim, não há ninguém que realmente jogue suas fichas em uma derrota das Flechas Prateadas, no máximo na presença de um RB10 na primeira fila ao lado da Mercedes que cravar a pole-position.

O duelo interno do time alemão também deve ser interessante, já que dois vencedores do GP de Mônaco pilotarão carros idênticos. As primeiras impressões do que veremos neste fim de semana virão nesta quinta-feira, já que essa corrida é tão única que os treinos livres acontecem um dia antes. 

GRANDE PRÊMIO EUROBIKE: entre no bolão da F1
e concorra a prêmios exclusivos no GP de Mônaco

GRANDE PRÊMIO cobre 'in loco' o GP de Mônaco, sexta etapa do Mundial de F1, com o repórter Renan do Couto. Para acompanhar todo o noticiário, clique aqui.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube