Chefão da F1, Ecclestone confirma que chegou a planejar comprar Wimbledon e tomar controle do tênis profissional

Bernie Ecclestone, chefão da F1, afirmou em entrevista ao jornal britânico 'The Telegraph' que chegou a estudar comprar o complexo de tênis de Wimbledon e assumir controle da ATP, o órgão máximo do tênis mundial

Enquanto o mundo do esporte olha para as duas semanas anuais de competição em Wimbledon, com todas as suas tradições e charmes, quase ninguém sabe que Bernie Ecclestone podia ser o responsável pela competição discutivelmente mais tradicional do tênis mundial. Ecclestone confirmou a informação completa à imprensa inglesa.
 
A história foi contada pela amigo de Bernie e ex-jogador de tênis – e bilionário – Ion Tiriac e se passou há mais ou menos 20 anos. Os dois assistiam a uma partida de um jogador agenciado por Tiriac na época, quando o chefão da F1 sugeriu que, juntos, comprassem o complexo de Wimbledon.
Bernie Ecclestone, chefe… do tênis? (Foto: AP)
"Eu estava sentado com Bernie Ecclestone, estávamos vendo Goran Ivanisevic jogando na Quadra 1, e o jogo foi interrompido por três paradas de chuva. E ele disse 'Quanto você acha que Wimbledon arrecada?', respondi que talvez £50 ou 60 milhões", contou.
 
"Ele disse 'Deveríamos comprar por £600 milhões, você e eu. Podemos colocar um teto na quadra em dois meses'", seguiu.
 
Ao jornal inglês 'Telegraph', Bernie confirmou que a história era 100% correta. Mais que Wimbledon: queria ser o homem forte do tênis mundial adquirindo também a Associação de Tênis Profissional. "Na época, estávamos analisando tentar tomar controle da ATP e comandar o tênis."
 
"Ion é muito meu amigo. Ele coordenava mais torneios de tênis que qualquer um. Foi assim que aconteceu. Estávamos muito sérios sobre. No final, acho que ninguém fez oferta. Estávamos vendo se seria possível e como faríamos. Até todos termos tudo propriamente alinhado, não dava para fazer proposta. Precisávamos nos certificar que todo mundo estava a bordo", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube