Chefe da Mercedes culpa falha em software por perda da vitória de Hamilton na Austrália: “É muito difícil de aceitar”

Toto Wolff ainda vai levar algum tempo para digerir a forma como Lewis Hamilton deixou de vencer o GP da Austrália. O tetracampeão tinha tudo nas mãos para começar a temporada 2018 da melhor forma, mas o austríaco disse que um erro de cálculo de um dos softwares da Mercedes falhou durante o período de safety-car e não conseguiu prever que Sebastian Vettel voltaria à frente após seu pit-stops. No fim das contas, o alemão levou a melhor

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O primeiro terço do GP da Austrália, prova que abriu a temporada 2018 do Mundial de F1 neste domingo (25), transcorreu de forma normal e até monótona, com Lewis Hamilton tendo o controle da prova e mantendo uma diferença até confortável para Kimi Räikkönen e Sebastian Vettel, segundo e terceiro colocados. Mas o safety-car proporcionado pela problema na roda traseira esquerda do carro de Romain Grosjean colocou tudo a perder para o britânico. Lewis e Räikkönen fizeram suas paradas antes da volta 20. Vettel seguiu na pista e assumiu a liderança. Com a bandeira amarela, o alemão fez seu pit-stop e voltou à frente de Hamilton. Mas para Toto Wolff, chefe da Mercedes, não era para ter sido assim.

 
O dirigente austríaco reportou uma falha de cálculo de um dos softwares da equipe prateada que errou ao não prever que Vettel voltaria à frente de Hamilton mesmo durante o período de safety-car. Wolff ainda não digeriu a forma como Hamilton perdeu uma corrida que tinha nas mãos, mas acabou sendo derrotado não apenas por um golpe do azar, mas também pelo software da Mercedes.
 
“É muito difícil de aceitar porque nós tínhamos ritmo. Por qualquer motivo, nós precisamos descobrir, perdemos a vitória. Pensávamos que tínhamos 3s de margem. Não sei o que aconteceu, precisamos checar os computadores e é isso o que estamos fazendo no momento. Caso tenhamos algum problema de software, precisamos corrigir isso”, explicou o dirigente em entrevista à emissora britânica Sky Sports. Pouco depois, Wolff parabenizou Maurizio Arrivabene pelo êxito da Ferrari.
Toto Wolff não escondeu a frustração depois de ver Hamilton perder a vitória para Vettel (Foto: Reprodução)
“Acho que o problema está dentro dos nossos sistemas. Acho que nós temos um bug em algum lugar que dizia que 15s era o necessário. Nós tínhamos 12s, deveria ter sido o suficiente, mas não foi”, lamentou.
 
Mesmo depois de ter sido superado por Vettel durante o período de safety-car, Hamilton lutou até o fim e só não conseguiu seguir em frente em razão do desgaste de pneus, confirmou Wolff.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Ele estava atacando, mas você pode ver como ultrapassar é muito difícil aqui. Mesmo os grandes em matéria de ultrapassagens não puderam passar. Lewis teve de desistir porque os pneus não chegariam ao fim”, disse.

 
“Acho que nós tivemos um problema de software com as informações no safety-car virtual. Uma situação que ainda não tivemos com os carros, um em alta velocidade e outro em baixa velocidade. A diferença que nós precisávamos foi mal calculada pelos sistemas. Acho que a forma como o algoritmo é configurado, a forma como o computador é programado, nós sempre tivemos luz verde e a diferença era o bastante para nos mantermos à frente. E então nós vimos as imagens da TV e não foi o suficiente”, encerrou.
”RECOMEÇA A BRIGA”

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube