F1

Chefe da Mercedes festeja “sequência incrível” e diz que marcar cinco dobradinhas “foi uma surpresa”

O fim de semana foi de mais uma grande conquista para a Mercedes, com a vitória de Lewis Hamilton e a quinta dobradinha da temporada, novo recorde da F1 em um começo de temporada. Toto Wolff festejou a série prateada e revelou o segredo da eficiência do W10: a melhor performance nas curvas

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A Mercedes nada de braçada na temporada 2019 da Fórmula 1. Quando muitos esperavam que a Ferrari fosse uma concorrente real na luta pelo título depois da força mostrada nos testes de pré-temporada, a escuderia prateada varreu a concorrência com um recorde histórico de cinco dobradinhas nas cinco primeiras corridas do ano, marca ampliada neste domingo (12) de GP da Espanha. Em Barcelona, Lewis Hamilton venceu sem jamais ter sido incomodado depois de superar o pole Valtteri Bottas na largada
 
Toto Wolff, chefe da equipe pentacampeã do mundo, vibrou com um feito histórico no esporte. “É uma sequência incrível. Cinco dobradinhas depois de um teste de inverno muito difícil, com a Ferrari se atualizando em relação ao ano passado e a Red Bull tornando-se muito mais forte desde o fim da última temporada. Foi uma surpresa”, declarou o dirigente durante entrevista coletiva.
 
Na visão do dirigente austríaco, a forma como Hamilton perdeu a pole-position no sábado ao ter sido superado por uma margem de 0s6 por Bottas, deixou Lewis ‘mordido’ e lhe serviu de combustível para reverter o cenário neste domingo. “Acho que ele estava um pouco irritado ontem, e dias assim te fazem muito forte. Ele controlou a corrida depois da largada”.
A Mercedes nada de braçada na temporada 2019 da Fórmula 1 (Foto: Reprodução)
Com a luta pelo título sendo protagonizada pelos dois pilotos da Mercedes, é natural que Wolff seja questionado se teme por uma nova reedição da rivalidade ferrenha travada entre Hamilton e Nico Rosberg, que alcançou seu auge em 2016. Mas o chefe da equipe prateada entende que o cenário atual é bastante distinto.
 
“Acho que é muito diferente porque eu não acho que nós sabemos de toda a história sobre Nico e Lewis. Há um bom ambiente entre eles e nós falamos sobre a Mercedes, sobre a marca. Eles são ótimos elementos de equipe”, elogiou.
 
Ao falar sobre a Ferrari, Wolff lembrou que não basta simplesmente trazer um novo motor para poder desafiar o poderio da Mercedes e lembrou que a equipe anglo-alemã teve de mudar sua filosofia na concepção do W10, que se destaca pelo desempenho em curvas mais lentas.
 
“Não há jamais uma bala de prata em desenvolvimento que você coloca no carro e isso faz a diferença. Hoje em dia, tudo se tornou transparente e digital em relação a anos atrás. Acho que é muito mais sobre o rumo do desenvolvimento. Eu entendo os pneus e como o carro como um todo interage e nós adicionamos performance a cada fim de semana, e este é o resultado”, explicou.
 
“Eles acabaram de trazer um novo motor, que foi a atualização, eles fizeram rápido a reta dos boxes, mas não é a única ferramenta que você precisa, você também precisa ser rápido nas curvas. Mas aqui isso destravou o potencial do nosso carro no último setor”, comentou Wolff.
 
“Mudamos um pouco a forma como desenvolvemos o carro e a ênfase que nós colocamos nas curvas lentas, precisamos ver se conseguimos traduzir isso [em resultados] lá em Mônaco”, encerrou o chefe da Mercedes.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.