F1
23/07/2018 09:39

Chefe lamenta pontos perdidos, mas vê Haas em boa posição para liderar pelotão intermediário

Chefe da Haas, Guenther Steiner lamentou os pontos perdidos com a chegada da chuva no GP da Alemanha. O dirigente, no entanto, acredita que o time norte-americano está em uma “posição muito boa” para poder desafiar a Renault pela quarta colocação no Mundial de Construtores
Warm Up, de Hockenheim / Redação GP, de São Paulo
 Romain Grosjean (Foto: Haas)

Chefe da Haas, Guenther Steiner segue confiante nas chances do time de garantir a quarta colocação no Mundial de Construtores. Após o GP da Alemanha, a escuderia norte-americana foi superada pela Force India e caiu para a sexta colocação na classificação, 21 pontos atrás da Renault, que lidera a briga do pelotão intermediário.
 
Guenther Steiner vê Haas com chances de liderar pelotão intermediário da F1 (Foto: Getty Images)
Nas voltas finais, Grosjean ainda conseguiu supercar Esteban Ocon e Sergio Pérez para ficar com o sexto posto, mas Magnussen não conseguiu repetir o desempenho do companheiro de equipe e ficou só em 11º.
 
Falando à imprensa após a corrida, Steiner admitiu que vai reavaliar a estratégia adotada pela Haas em Hockenheim.
 
“Ele escapou duas vezes e Hülkenberg passou e ficou na frente dele, aí nós decidimos chamá-lo para colocar os intermediários e começou a partir daí”, disse Steiner. “É sempre difícil dizer se foi certo ou errado, acho que foi a decisão correta por ele, porque estava muito escorregadio, pois, com os pneus desgastados com que ele estava, o risco de escapar em algum lugar como o que [Sebastian] Vettel escapou é muito alto, já que eles estavam muito desgastados e os dois pilotos disseram que não conseguiam colocar o pneu na temperatura”, explicou.
 
“Você fica no meio e, naquele momento, não sabe quanto tempo a chuva vai durar. Se você coloca pneus novos, a temperatura baixa muito rápido, então você não tem mais aderência, então é uma daquelas situações onde estávamos naquele ponto que você pode simplesmente perder, porque temos de agir, mas não queremos correr o risco, já que se você corre o risco, pode perder tudo”, falou. “Acho que controlamos os danos no geral com Romain terminando em sexto, então não é tal mal, saímos disso não muito mal, mas nós precisamos estudar exatamente se poderíamos ter feito as duas paradas em uma volta diferente. Precisamos olhar para isso”, ponderou.
 
Com os dois carros da Force India na zona de pontuação, a Haas caiu para a sexta colocação no campeonato. Ainda assim, Steiner acredita que o time segue confiante em fechar o ano como o melhor do pelotão intermediário.
 
“Se continuarmos fazendo o que estamos fazendo, ainda estamos em uma posição muito boa”, comentou. “Sim, perdemos dois pontos, mas, no cenário mais amplo, não é muito. Por motivos óbvios, eu preferia ter ganhado os dois pontos, mas nós perdemos. Essas coisas acontecem, mas, como eu disse antes, as corridas são assim”, ponderou.
 
“Quando estávamos rodando em condições normais, Romain de fato estava se aproximando de Nico e, para nós, as coisas estavam acontecendo como deveria e o céu abriu. Olhando adiante, estou bem confiante de que podemos travar uma boa batalha pelo quarto, se vamos conseguir ou não, não sei, mas, com certeza, estamos em uma boa posição para fazer isso”, concluiu.