Chefe da Williams vê agressividade como segredo para evolução: “Mudamos estratégias”

A Williams é uma das grandes surpresas da segunda metade da temporada 2021 da Fórmula 1, com 23 pontos conquistados. A equipe espantou a má fase, voltou ao top-10 e já começa a superar equipes rivais graças a uma nova mentalidade interna

Nos últimos anos, a Williams virou figura cativa nas últimas posições do grid da Fórmula 1, inclusive ficando sem marcar um único ponto em 2020. Nesta temporada, porém, as coisas mudaram. O time evoluiu, a presença no top-10 foi cada vez mais frequente e agora há uma sensação de esperança em Grove. O novo chefão, Jost Capito, sabe bem o que mudou.

Desde a pausa de férias da F1, a Williams pontuou em quatro das cinco corridas disputadas, seja com George Russell ou Nicholas Latifi. Em duas ocasiões, ambos finalizaram corridas no top-10. A única exceção foi no exigente circuito de Zandvoort, na Holanda. E no GP da Bélgica, teve até pódio do piloto britânico, com o segundo lugar obtido.

Sob nova gestão desde o fim do ano passado, quando a tradicional família Williams passou o posto para os investidores do Dorilton Capital, a equipe mostrou pequenos sinais de melhora e já consegue superar Haas e Alfa Romeo no Mundial de Construtores.

A Williams reagiu na reta final do campeonato e voltou a pontuar (Foto: Williams)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Nós mudamos nossa organização, a comunicação, as responsabilidades. Trabalhamos mais como uma equipe, mudamos nossas estratégias, nos tornamos mais proativos e agressivos nos finais de semana”, disse Capito, o chefe da equipe.

“Nós trouxemos mais orgulho para o time quando falamos que as coisas poderiam ser diferentes. Podemos tentar coisas que outras [equipes] não podem porque estão na frente e se arriscariam muito. Nos arriscamos muitas vezes e isso dá certo. Mostra como evoluímos como equipe em termos de comunicação. Estou surpreso com o quão rápido podemos transformar o carro sem realmente melhorá-lo”, seguiu.

Desde o GP da Hungria, a Williams já conquistou 23 pontos, sendo 16 com Russell e outros 7 com Latifi, ocupando a oitava posição no Mundial de Construtores. No último fim de semana, na Rússia, o britânico conseguiu a terceira posição no grid e andou sempre entre os primeiros colocados, mas acabou apenas em décimo.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar